SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.38 issue2Activity of passion fruit (Passiflora edulis) and guava (Psidium guajava) pulps on Lactobacillus acidophilus in refrigerated moussesIsolation of filamentous fungi from public telephones of the Metropolitan region of the city of Recife, PE, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Brazilian Journal of Microbiology

Print version ISSN 1517-8382

Abstract

OLIVEIRA, Kelly et al. Adesão de Salmonella enteritidis a superfícies de aço inoxidável. Braz. J. Microbiol. [online]. 2007, vol.38, n.2, pp. 318-323. ISSN 1517-8382.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-83822007000200026.

A adesão de microrganismos a superfícies de processamento de alimentos e os problemas que daí resultam são matéria de grande preocupação para a indústria alimentar. Superfícies de processamento de alimentos contaminadas podem actuar como uma potencial fonte de transmissão de patogénicos na indústria alimentar, restauração e em ambientes domésticos. Diversos estudos têm demonstrado que a adesão de bactérias a superfícies depende, por um lado, da natureza das superfícies inertes e, por outro, das propriedades superficiais das bactérias. O objectivo deste trabalho consistiu na comparação da capacidade de adesão de 4 cepas diferentes de Salmonella Enteritidis ao aço inoxidável 304 (SS 304). Analisou-se também o efeito da hidrofobicidade e da composição elementar no processo de adesão. A hidrofobicidade foi determinada através da medição de ângulos de contacto usando o método da gota séssil. Todas as cepas apresentaram valores positivos do grau de hidrofobicidade (DGlwl) podendo, assim, ser consideradas hidrofílicas enquanto o aço inoxidável revelou um carácter hidrofóbico. A composição elementar da superfície das células bacterianas foi medida através de espectroscopia de fotoelectrões X (XPS). Os resultados do XPS corroboraram a similaridade de valores do grau de hidrofobicidade obtidos por ângulos de contacto. As diferentes cepas de Salmonella apresentaram uma composição elementar e propriedades físico-químicas semelhantes. No entanto, a Salmonella MUSC apresentou uma capacidade de adesão ao aço inoxidável mais elevada (p<0.05). Pode então concluir-se que as propriedades físico-químicas das cepas não explicam a capacidade de adesão ao aço inoxidável, devendo ser considerados outros factores tais como a produção de exopolissacáridos.

Keywords : Adesão; Salmonella Enteritidis; hidrofobicidade.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English