SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.39 número2Identificação de micobactérias não-tuberculosas do Laboratório Central de Saúde Pública de Mato Grosso de Sul e análise de dados clínicos dos pacientesEsofagite por Candida Glabrata: novos relatos de casos e conduta terapêutica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Brazilian Journal of Microbiology

versão impressa ISSN 1517-8382

Resumo

CAMARGO, I. L. B. C.; ZANELLA, R. C.; GILMORE, M. S.  e  DARINI, A. L. C.. Fatores de virulência em Enterococcus faecalis resistentes e suscetível à vancomicina isolados no Brasil. Braz. J. Microbiol. [online]. 2008, vol.39, n.2, pp. 273-278. ISSN 1517-8382.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-83822008000200014.

Enterococci são membros da microbiota comensal de animais e insetos, mas também são importantes patógenos oportunistas. Nosso objetivo foi observar se há qualquer diferença na virulência nos diversos grupos de Enterococcus faecalis, principalmente nos E. faecalis resistente à vancomicina (VREFS) isolados de colonização e infecção. VREFS e E. faecalis sensíveis à vancomicina (VSEFS) do Brasil foram pesquisadas quanto a presença de fatores de virulência. Ensaios fenotípicos foram usados para obter a expressão in vivo, entender o potencial patogênico destas amostras e determinar se existe correlação entre virulência e resistência a antibióticos. Diferentes perfis de virulência foram encontrados sugerindo que o clone que está se disseminado pode ter gerado diversas variações. No entanto, nosso estudo mostrou que um conjunto de fatores parece ser mais comum entre as amostras: gelatinase, substância de agregação e esp (GEA). Estes fatores tem sido correlacionados com a agregação de células e formação de biofilmes. A formação de biofilme pode promover a conjugação de plasmídeos contendo genes de resistência entre as espécies. Curiosamente, o perfil GAE não foi exclusivo para VREFS, foi o segundo mais observado em amostras VSEFS provenientes de colonização e infecção em pacientes hospitalizados e também de swabs retais de voluntários saudáveis. Tais linhagens pacerem representar a "porta de entrada" para novos genes de resistência em E. faecalis e podem contribuir para a disseminação de E. faecalis principalmente nos hospitais.

Palavras-chave : Enterococcus faecalis; VRE; Esp; gelatinase; substância de agregação.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês