SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.39 número3Isolamento de Escherichia coli extraintestinal patogênica de cachorros diarréicos e seu perfil de resistência antimicrobianaDermatofitose por Microsporum canis e Microsporum gypseum em Bradypus variegatus (Schiz, 1825) de vida livre no estado de Pernambuco, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Brazilian Journal of Microbiology

versão impressa ISSN 1517-8382versão On-line ISSN 1678-4405

Resumo

MIRAGLIA, Fabiana et al. Isolamento e caracterização de Leptospira interrogans de suínos abatidos no Estado de São Paulo, Brasil. Braz. J. Microbiol. [online]. 2008, vol.39, n.3, pp.501-507. ISSN 1517-8382.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-83822008000300017.

Amostras de soro sanguíneo, rim, fígado e trato genital de 137 fêmeas suínas (40 matrizes e 97 marrãs) e de urina de 22 matrizes foram colhidas em abatedouro no Estado de São Paulo, no período de abril de 2003 a agosto de 2004 tendo como objetivo o isolamento de Leptospira spp. Quatro estirpes foram isoladas de animais que apresentaram títulos, no teste de soroaglutinação microscópica (SAM) > 100, para o sorovar Pomona e de um animal, não reagente na SAM, em que houve isolamento de leptospiras do fígado e aparelho reprodutor. A presença do DNA de leptospira foi investigada pela técnica da PCR e foram observados resultados positivos nos rins de 11 fêmeas, no fígado de duas, no aparelho reprodutor de duas e na urina de uma delas. Nefrose, nefrite intersticial multifocal variando de moderada a severa, cilindros hialinos e focos hemorrágicos, congestão hepática e de cornos uterinos foram lesões histológicas evidenciadas com freqüência mais alta em animais positivos para leptospira. A impregnação argêntica (Warthin Starry) confirmou a presença de espiroquetas nos túbulos renais das quatro fêmeas onde houve cultura positiva para leptospiras dos rins. O sorogrupo dos cinco isolados foi identificado como Pomona pela técnica de aglutinação cruzada com anticorpos policlonais de referência. A caracterização molecular dos isolados foi realizada pela análise do número variável de repetições em tandem (VNTR). Os mesmos revelaram um padrão distinto da estirpe padrão de L. interrogans sorovar Pomona, porém idêntico a um padrão previamente identificado em estirpes isoladas na Argentina, pertencentes ao sorovar Pomona.

Palavras-chave : Pomona; Suínos; VNTR; Isolamento; PCR; Trato Genital.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons