SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.7 issue4Comparison of body fat estimation by bioelectric impedance, skinfold thickness, and underwater weighing author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Medicina do Esporte

Print version ISSN 1517-8692

Abstract

SIMAO, Roberto; MONTEIRO, Walace  and  ARAUJO, Claudio Gil Soares de. Fidedignidade inter e intradias de um teste de potência muscular. Rev Bras Med Esporte [online]. 2001, vol.7, n.4, pp. 118-124. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922001000400002.

Com o envelhecimento há rápida e relevante perda de potência muscular (PM), prejudicando a autonomia e a qualidade de vida, tornando conveniente avaliar a PM. O objetivo do estudo foi determinar a fidedignidade inter e intradias de um teste simples de PM, realizado em uma carga previamente individualizada. Avaliamos 18 jovens adultos saudáveis, sendo 12 mulheres, inexperientes quanto a exercícios de fortalecimento. Determinou-se inicialmente 1RM com medida simultânea da velocidade e da potência (Fitrodyne, Bratislava), no exercício remada alta, até a altura mesoesternal na posição ortostática, obtendo-se ainda a carga na qual se conseguia a maior PM. Na semana seguinte, por cinco dias consecutivos, eles realizaram em quatro dias 2x2 repetições e em um dia 10x2 repetições (3s de intervalo entre as repetições), o mais rápido possível na fase concêntrica, com a carga de PM. Comparando os resultados pela ANOVA para medidas repetidas e teste de Bonferroni, verificou-se que a PM máxima não diferia - médias entre 262 e 267W (p = 0,69). Para a variabilidade dos dados individuais, encontraram-se valores de 3 e 8%, respectivamente, para o coeficiente de variação (CV) e para a média da variação dos resultados pela média dos indivíduos M-m/X. Nas dez séries consecutivas os valores ficaram entre 242 e 263W, somente identificando-se diferenças entre as séries 1 e 4 e 6 (p < 0,05). Excluindo-se os dados da primeira série (cinco dos 18 avaliados tiveram valores excepcionalmente baixos nela), as diferenças desaparecem (p = 0,13). Dados da variabilidade individual demonstraram 6 e 20%, respectivamente, para CV e M-m/X, nas dez séries consecutivas. Os autores concluem que a PM máxima obtida em um teste simples apresenta alta fidedignidade inter e intradias e variabilidade relativamente baixa, quando comparadas com outras mensurações freqüentemente usadas em ciências do exercício. Esse teste pode ser recomendado para medidas de PM em programas voltados para a saúde e a aptidão física, nos quais a utilização de materiais e protocolos mais sofisticados pode ser inapropriada ou inviável.

Keywords : Potência muscular máxima; Teste de potência muscular; Força máxima; Treinamento contra resistência; Fortalecimento muscular; Fidedignidade inter e intradias.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese