SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.8 issue4Biological theories of aging: genetic and stochastic approachesHistologic and histochemical analysis of fibers of rectus of abdomen and paraesternal intercostal muscles of Wistar rats after swimming exercise author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Medicina do Esporte

Print version ISSN 1517-8692

Abstract

BARA FILHO, Maurício Gattás; RIBEIRO, Luiz Carlos Scipião; MIRANDA, Renato  and  TEIXEIRA, Mônica Tavares. A redução dos níveis de cortisol sanguíneo através da técnica de relaxamento progressivo em nadadores. Rev Bras Med Esporte [online]. 2002, vol.8, n.4, pp. 139-143. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922002000400002.

OBJETIVO: Analisar os efeitos da técnica de relaxamento progressivo na redução/controle dos níveis de cortisol sanguíneo em nadadores durante determinado período de treinamentos. METODOLOGIA: Nadadores de ambos os sexos (n = 23) foram divididos em dois grupos: experimental GE (n = 11), submetido a tratamento com a técnica de relaxamento progressivo duas vezes por semana; de controle GC (n = 12), submetido a tratamento placebo nas mesmas condições. Os tratamentos foram realizados durante sete semanas, com três coletas de sangue (pré, mid e pós-testes). RESULTADOS: A partir da não-normalidade da distribuição indicada pelo teste de Kolmogorov-Smirnov (Dmax = 3,61 > Dcrítico = 0,276, NC = 95%), decidiu-se pela análise exploratória dos dados, que revelou os seguintes valores da mediana do nível de cortisol sanguíneo (ng/ml) para os grupos nos pré, mid e pós-testes, respectivamente: GE = 140,7; 95,5 e 86,5, e GC = 141,1; 132,8 e 138,6. Além de observar maior redução da mediana no GE, os valores deste grupo apresentaram-se mais próximos da mediana no pós-teste, o que não ocorreu com o GC, que permaneceu inalterado em relação ao pré-teste. Para corroborar essa tendência, utilizou-se o teste de Mann-Whitney e observou-se uma diferença significativa (p < 0,004) na soma de postos para GE, ao contrário do GC (p > 0,05), o que demonstra maior redução dos níveis de cortisol sanguíneo no GE em relação ao GC. CONCLUSÕES: Os resultados indicam que há influência do tratamento experimental (relaxamento progressivo) na redução dos níveis de cortisol sanguíneo. Isso demonstra intensa relação psicofisiológica entre os processos do organismo humano, indicando a necessidade da utilização de estratégias de controle do treinamento desportivo para evitar o estresse excessivo.

Keywords : Cortisol; Psicofisiologia; Treinamento desportivo; Relaxamento.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese