SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 número6Efeitos da suplementação aguda de aspartato de arginina na fadiga muscular em voluntários treinadosComportamento de variáveis fisiológicas em atletas de nado sincronizado durante uma sessão de treinamento na fase de preparação para as Olimpíadas de Atenas 2004 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

versão impressa ISSN 1517-8692versão On-line ISSN 1806-9940

Resumo

CHAVES, Luciane Moreira; GOMES, Lucy; OLIVEIRA, Ricardo Jacó de  e  MARQUES, Martim Bottaro. Relação entre variáveis da composição corporal e densidade mineral óssea em mulheres idosas. Rev Bras Med Esporte [online]. 2005, vol.11, n.6, pp.352-356. ISSN 1806-9940.  https://doi.org/10.1590/S1517-86922005000600009.

Na literatura, há controvérsias sobre a importância da massa corporal total (MCT), da massa magra (MM) e da massa gorda (MG) como determinantes da densidade mineral óssea (DMO) em mulheres idosas. OBJETIVOS: Determinar a relação da DMO com a MCT, MM e MG em mulheres idosas. MÉTODOS: Foram estudadas 97 mulheres com idade entre 60-70 anos e média de 66,41 ± 4,82 anos. Nenhuma participante fazia uso de hormônios ou qualquer outro medicamento que pudesse afetar o metabolismo ósseo, assim como não tinham o hábito de fumar ou de ingerir bebidas alcoólicas. A composição corporal e a DMO do colo femoral (CF) e da coluna lombar (CL) foram medidas através da DXA, um DPX-IQ lunar. As relações entre MCT, MM e MG e a DMO do CF e da CL foram realizadas separadamente, através da análise de regressão linear. A análise de regressão múltipla foi utilizada para determinar a contribuição da MCT, MM e MG sobre a DMO do CF e da CL. RESULTADOS: A MCT mostrou-se fortemente correlacionada com a DMO do CF e da CL (r = 0,54, p = 0,01 e r = 0,37, p = 0,01, respectivamente), do que a MG (r = 0,30, p = 0,01 e r = 0,19, p = 0,06, respectivamente) e MM (r = 0,44, p = 0,01 e r = 0,26, p = 0,05, respectivamente). CONCLUSÃO: A MCT e a MM foram os componentes corporais que mantiveram relação significativa com a DMO do CF e da CL. A MG mostrou correlação fraca com a DMO do CF e da CL, não sendo estatisticamente significativa neste último sítio. Assim, a MCT e a MM são, entre as variáveis da composição corporal, as que mais significativamente determinam a DMO em mulheres idosas.

Palavras-chave : Massa óssea; Pós-menopausa; Massa corporal.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons