SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 issue2Anthropometric profile and macronutrient intake in professional Brazilian soccer players according to their field positioningCharacterization of the blood lactate curve and applicability of the Dmax model in a progressive protocol on treadmill author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Medicina do Esporte

Print version ISSN 1517-8692

Abstract

FEHR, Guilherme Lotierso; CLIQUET JUNIOR, Alberto; CACHO, Ênio Walker Azevedo  and  MIRANDA, João Batista de. Efetividade dos exercícios em cadeia cinética aberta e cadeia cinética fechada no tratamento da síndrome da dor femoropatelar. Rev Bras Med Esporte [online]. 2006, vol.12, n.2, pp. 66-70. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922006000200002.

O objetivo deste estudo foi analisar os efeitos terapêuticos dos exercícios em cadeia cinética aberta (CCA) e cadeia cinética fechada (CCF) no tratamento da síndrome da dor femoropatelar (SDFP). Para tanto, 24 voluntários portadores de SDFP foram aleatoriamente divididos em dois grupos: grupo I (n = 12): realizou exercícios em CCA; grupo II (n = 12): realizou exercícios em CCF. Os grupos foram submetidos a oito semanas consecutivas de tratamento, que consistiu de três sessões semanais realizadas em dias alternados. Para análise dos padrões de ativação dos músculos vasto medial oblíquo (VMO) e vasto lateral (VL) os sinais eletromiográficos (EMG) foram adquiridos com eletrodos bipolares de superfície, quantificados pela raiz quadrada da média (root mean square RMS) e normalizados pela contração isométrica voluntária máxima do quadríceps. Por meio de escalas avaliou-se a intensidade da dor e funcionalidade dos voluntários. A análise dos valores da razão VMO/VL nos grupos I e II demonstrou que não houve diferenças significativas entre os tempos pré e pós-tratamento nas fases concêntrica (p > 0,05) e excêntrica (p > 0,05) dos exercícios em CCA e CCF. Apesar disso, o músculo VMO apresentou menor taxa de ativação em relação ao VL na fase excêntrica do exercício em CCF. Foram encontrados aumentos significativos na funcionalidade (p < 0,05) e redução da intensidade da dor (p < 0,05) entre os tempos pré e pós-tratamento em ambos os grupos, porém, o grupo II mostrou-se superior ao grupo I nestas duas variáveis. Os resultados deste estudo sugerem que, de acordo com as condições experimentais utilizadas, os exercícios em CCA e CCF não provocaram mudanças nos padrões de ativação EMG dos músculos VMO e VL; entretanto, promoveram melhora da funcionalidade e redução da intensidade da dor após oito semanas de intervenção, sendo que os exercícios em CCF foram superiores aos em CCA.

Keywords : Joelho; Eletromiografia; Exercício; Recuperação funcional.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese