SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 issue6Acute hydroelectrolytic changes occurred in the Brazilian Ironman TriathlonInfluence of passive stretching in three 30-second sets at every 48 hours in immobilized soleum muscle of rats author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Medicina do Esporte

Print version ISSN 1517-8692

Abstract

LIRA, Fábio Santos de; OLIVEIRA, Rodrigo da Silva Fermino de; JULIO, Ursula Ferreira  and  FRANCHINI, Emerson. Consumo de oxigênio pós-exercícios de força e aeróbio: efeito da ordem de execução. Rev Bras Med Esporte [online]. 2007, vol.13, n.6, pp. 402-406. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922007000600009.

O treinamento concorrente é uma estratégia que vem sendo utilizada na intenção de maximizar o gasto energético tanto durante quanto após o exercício por meio do EPOC (excesso do consumo de oxigênio pós-exercício).  No entanto, pouco se sabe sobre a influência da ordem de execução sobre o EPOC. O objetivo do presente estudo foi verificar a influência do tipo (aeróbio, força e concorrente) e da ordem (aeróbio + força ou força + aeróbio) do exercício sobre o EPOC. A amostra foi constituída por oito homens (idade: 24 ± 2 anos; massa corporal: 75,4 ± 3,7kg; e estatura: 179 ± 3,0cm), voluntários, com experiência em treinamento de força e aeróbio. Os sujeitos foram submetidos a um teste para a determinação do VO2pico (57,0 ± 2,9ml/kg/min) e teste de 1-RM para os exercícios de supino reto (68 ± 2kg), puxador costas (64 ± 3kg), cadeira extensora (51 ± 3kg) e mesa flexora (38 ± 3kg). O treino aeróbio foi realizado durante 30 minutos a 90% da velocidade correspondente ao limiar anaeróbio (10,3 ± 2,2km). O treino de força foi realizado a 70% de 1RM, dividido em três séries de 12 movimentos. O consumo de oxigênio (VO2) foi medido em repouso (R) e após as seguintes sessões: aeróbio (A), força (F), aeróbio-força (A + F) e força-aeróbio (F + A), utilizando calorimetria indireta durante 30 minutos, os quais foram divididos em três intervalos de tempo: T1 (0 a 10 minutos), T2 (11 a 20 minutos) e T3 (21 a 30 minutos).  A comparação do VO2 entre as diferentes situações (R, A, F, A + F e F + A) para cada um dos períodos de tempo (0-10, 11-20; 21-30 min) foi realizada a partir de uma ANOVA a um fator com medidas repetidas, seguida por teste de Tukey. Em T1, o VO2 das diferentes sessões foi maior que o de R. Durante T2, o VO2 das situações F, A + F e F + A foi superior ao de R. Em T3, somente A + F resultou em EPOC. Os resultados indicam que a ordem de execução influenciou o tempo de EPOC. Contudo, o gasto calórico decorrente do EPOC é bastante reduzido (≅ 15kcal).

Keywords : Treinamento concorrente; EPOC; Gasto energético.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese