SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número3Exercício físico reduz a hiperglicemia de jejum em camundongos diabéticos através da ativação da AMPKEfeito de um programa de condicionamento físico no broncoespasmo induzido pelo exercício em mulheres obesas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

versão impressa ISSN 1517-8692versão On-line ISSN 1806-9940

Resumo

PONTES, Luciano Meireles de  e  SOUSA, Maria do Socorro Cirilo de. Estado nutricional e prevalência de síndrome metabólica em praticantes amadores de futebol. Rev Bras Med Esporte [online]. 2009, vol.15, n.3, pp.185-189. ISSN 1806-9940.  https://doi.org/10.1590/S1517-86922009000300004.

O objetivo do estudo foi avaliar o estado nutricional e identificar a prevalência de síndrome metabólica em praticantes amadores de futebol. Foram estudados 32 homens (39,0 ± 6,4anos) com prática habitual de futebol. O estado nutricional foi avaliado por meio do índice de massa corporal (IMC) e a classificação da World Health Organization; a síndrome metabólica, pelo critério da International Diabetes Federation, que considera para o sexo masculino, além da obesidade central (circunferência da cintura > 90cm), duas ou mais das seguintes condições: trigliceridemia > 150mg/dl; níveis de HDL < 40mg/dl; pressão sistólica > 130mmHg ou diastólica > 85mm/Hg; e glicemia em jejum > 100mg/dl. A análise estatística processou dados descritivos de percentuais, média, mínimo, máximo, desvio padrão e inferência de correlações entre pares de variáveis por meio do coeficiente r de Pearson. O nível de significância adotado foi de p < 0,05. Os resultados encontrados mostraram que 43,8% dos futebolistas são eutróficos, 43,8% têm sobrepeso e 12,5%, obesidade. A ocorrência de síndrome metabólica foi de 37,5% e seus componentes mais prevalentes foram: 59,4% obesidade abdominal, 40,6% hipertensão, 34,4% hipertrigliceridemia, 28,1% HDL-C e 15,6% glicemia em jejum. O IMC apresentou correlação mais robusta com a circunferência da cintura (r = 0,918). CONCLUSÃO: Os futebolistas investigados apresentaram ocorrência de sobrepeso e obesidade em seu estado nutricional e, apesar de a frequência de síndrome metabólica se apresentar inferior a de outros estudos epidemiológicos, acredita-se que, além da prática de atividade física, esses desportistas devem aderir a outros comportamentos promotores de saúde, como a adesão a bons hábitos alimentares e ao controle do estresse.

Palavras-chave : futebol; sobrepeso; obesidade; síndrome metabólica.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons