SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 issue5Cardiorespiratory fitness cut offs points and cardiovascular risk factors screening at infancyUse of static stretching as an intervenient factor in delayed onset muscle soreness author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Medicina do Esporte

Print version ISSN 1517-8692

Abstract

ANDRADE, Rodrigo Maciel  and  MATSUDO, Sandra Marcela Mahecha. Relação da força explosiva e potência muscular com a capacidade funcional no processo de envelhecimento. Rev Bras Med Esporte [online]. 2010, vol.16, n.5, pp. 344-348. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922010000500005.

INTRODUÇÃO: O declínio na força explosiva e potência muscular de membros inferiores (MMII) tem sido relacionado ao prejuízo funcional de idoso; entretanto, a influência do envelhecimento nestas variáveis, considerando os movimentos multiarticulares, não tem sido bem documentada. OBJETIVOS: 1) comparar a força explosiva e a potência muscular de MMII de mulheres entre 50 e 79 anos em relação aos valores de referência aos 18 anos; e 2) associar essas variáveis com a capacidade funcional. MÉTODOS: Foram avaliadas 227 mulheres não sedentárias, subdivididas nos grupos 50-59, 60-69 e 70-79 anos de idade. Como força explosiva foi considerada a impulsão vertical sem auxílio dos braços (FE) e como capacidade funcional a velocidade normal de andar (VEL), o tempo para levantar da cadeira (CAD) e o equilíbrio estático (EQ). A potência muscular (POT) foi estimada pela altura obtida no salto vertical. O valor correspondente aos 18 anos foi considerado como referência. RESULTADOS: Foram observados menores valores (p < 0,05) em FE e POT nos três grupos de idade comparados aos 18 anos, sendo tais variáveis ainda menores no grupo 70-79 anos (p < 0,05). Somente o grupo 70-79 anos apresentou menor valor (p < 0,05) em VEL e EQ. A alteração em FE comparada à POT foi significativamente maior em todos os grupos (p < 0,05). À exceção da variável CAD nos grupos de 50-59 e 70-79 anos, a FE apresentou maior associação com a capacidade funcional do que a POT. CONCLUSÃO: FE e POT apresentaram menor valor quando comparadas ao grupo de 18 anos; entretanto, a POT não se altera em função da faixa etária. Contudo, a FE apresentou maior associação com a capacidade funcional.

Keywords : velocidade normal de andar; levantar da cadeira; equilíbrio.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese