SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.17 número5Atividade física habitual e qualidade de vida de mulheres na meia-idade índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

versão impressa ISSN 1517-8692

Resumo

REGO, Adriana Ribeiro de O. N. do et al. Pressão arterial após programa de exercício físico supervisionado em mulheres idosas hipertensas. Rev Bras Med Esporte [online]. 2011, vol.17, n.5, pp.300-304. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922011000500001.

INTRODUÇÃO: A população de idosos tem elevado os índices de doenças crônicas como hipertensão arterial sistêmica (HAS) com prevalência em mulheres. Intervenções não farmacológicas, como o exercício físico, são apontadas pela eficácia na diminuição da pressão arterial (PA). OBJETIVO: Verificar a resposta da pressão arterial de idosas hipertensas nos distintos momentos de um programa de exercício físico supervisionado (PEFS). MÉTODOS: Constituiu-se de um estudo descritivo de corte transversal realizado durante 18 semanas. Participaram 41 mulheres idosas com HAS, em tratamento farmacológico, distribuídas em grupo experimental (GE) (n = 26) que participou da intervenção, e grupo controle (GC) (n = 15), em dois momentos: pré e pós-PEFS. O IMC, a pressão arterial sistólica (PAS) e diastólica (PAD) foram avaliados no início e após 18 semanas de PEFS no GE e GC. A comparação intra e intergrupos foi feita com o teste t pareado e ANOVA two way com Kruskal Wallis, com nível de significância de p < 0,05. RESULTADOS: O GE (68,7 ± 8,4 anos, IMC = 27,23 ± 4,73) e o GC (67,3 ± 6,3 anos, IMC = 26,13 ± 4,36), com prevalência de sobrepeso em todos os grupos, sem diferença significativa pós-PEFS. Observou-se uma correlação entre o IMC e a PAS (r = 0,456; p = 0,01) e entre a PAS e a PAD (r = 0,380; p = 0,01). A semelhança inicial entre os grupos foi alterada pelo PEFS no GE, permanecendo no GC. A comparação intergrupos mostrou diferenças da PAS (p = 0,000) e da PAD (p = 0,005) pré e pós-PEFS e intragrupos, no GE com reduções da PAS (Δ = 9,61mmHg, p = 0,000) e da PAD (Δ = 1,54mmHg, p = 0,043) pós-PEFS, o que não ocorreu no GC. CONCLUSÃO: O programa de exercício físico supervisionado exerceu papel importante como modelo terapêutico não medicamentoso na resposta hipotensiva observada.

Palavras-chave : idoso; pressão arterial; exercício; hipertensão; composição corporal.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf epdf ) | Inglês ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons