SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 número2Aerobic or resistance exercise improves performance in activities of daily living in elderly womenThe tensiomyography used for evaluating high level beach volleyball players índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Revista Brasileira de Medicina do Esporte

versión impresa ISSN 1517-8692

Resumen

SONZA, Anelise  y  ANDRADE, Mário Cesar de. Análise das curvas de torque isocinético em movimentos do ombro. Rev Bras Med Esporte [online]. 2012, vol.18, n.2, pp. 91-94. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922012000200005.

A curva de torque de uma avaliação isocinética fornece ao avaliador indicativos da performance muscular, podendo detectar déficits no sujeito apreciado. No entanto, relatórios automáticos produzidos pelos equipamentos podem gerar dados e interpretações equivocados. Este estudo objetivou determinar a curva de torque isocinética, identificando em qual ponto a velocidade passa a ser constante dentro dos parâmetros do teste. Procurou, ainda, verificar se o pico de torque máximo (PTM) encontrava-se na fase de estabilização do protocolo. Atletas de natação (n = 10) foram avaliados através do dinamômetro isocinético Kin-Com® AP-125. Solicitou-se a contração máxima concêntrica-excêntrica nos movimentos: rotação interna (RI) e externa (RE), flexão (FL) e extensão (EX), abdução (AB) e adução (AD) horizontal do ombro, em 120º/seg, na posição de decúbito dorsal. Os softwares Matlab 6.0 e Origin 6.0 foram utilizados no processamento das curvas. Nos movimentos de RI e RE, ação concêntrica e excêntrica, em movimentos mais estáveis e de menor braço de alavanca, a velocidade manteve-se constante no intervalo de 5 a 98% das curvas. Para a FL-EX e AB-AD, considerados mais instáveis e com maiores braços de alavanca, a velocidade foi constante no intervalo de 10 a 98% das curvas. Nos movimentos de RI e EX concêntrico e FL e AB-AD horizontal concêntrico e excêntrico, os PTM centraram-se no terço inicial das curvas, exigindo maiores cuidados no processamento. No movimento de FL excêntrica, 80% dos PTM estavam fora da velocidade preestabelecida, necessitando reprocessamento, o que não ocorreria no fornecimento de laudo automático. Sugeriu-se o descarte dos 5% iniciais e finais da curva de torque nos movimentos de rotação do ombro e 10% para FL-EX e AB-AD horizontal para interpretações mais fidedignas dos picos de torque e obtenção da real condição muscular do avaliado.

Palabras llave : torque; articulação do ombro; análise de dados; contração muscular; biomecânica.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués | Inglés     · pdf en Inglés | Portugués