SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 número2Respostas lactacidêmicas de ratos ao treinamento intermitente de alta intensidadeForça muscular, níveis séricos de testosterona e de ureia em jogadores de futebol submetidos à periodização ondulatória índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista Brasileira de Medicina do Esporte

versão impressa ISSN 1517-8692

Resumo

BERTOLINI, Gladson Ricardo Flor et al. Uso do exercício resistido antagonizado por naloxone como fator de analgesia em sinovite aguda de joelho de ratos Wistar. Rev Bras Med Esporte [online]. 2012, vol.18, n.2, pp. 126-129. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922012000200013.

A analgesia advinda do exercício físico pode ocorrer via liberação de opioides endógenos, no sistema nervoso central e na periferia. Contudo, a literatura ainda é controversa sobre vias e ações do exercício na dor. Assim, o objetivo da pesquisa foi avaliar se o exercício resistido produz alterações sobre o quadro nociceptivo e se sofre interferências pela aplicação de um inibidor de opioides. Foram utilizados 18 ratos, divididos em três grupos: G1 - hiperalgesia no joelho direito e não tratados; G2 - hiperalgesia e tratados com saltos em meio aquático; G3 - hiperalgesia, com prévia injeção de naloxone e posterior saltos. Para produzir a hiperalgesia, foi injetado no espaço articular tibiofemoral 100µl de formalina 5%. Para avaliação da dor foi utilizado o filamento de Von Frey digital na face medial da articulação tibiofemoral direita. Os momentos de avaliação foram: pré-lesão (AV1), após 15 (AV2) e 30 (AV3) minutos e uma hora (AV4). O exercício foi saltos em meio aquático e ocorreu após AV2. Com sobrecarga de 50% do peso, o animal realizou quatro séries de cinco saltos, com intervalo de três minutos. Para G1, houve aumento nociceptivo, com redução significativa e volta dos valores iniciais em AV4; G2 mostrou, após o exercício físico, restauração do limiar, com retorno aos valores basais; para G3, houve diminuição do limiar, sem restauração ou aumento significativo do mesmo. Conclui-se que houve analgesia com uso do exercício físico e que a mesma foi alterada por bloqueador de betaendorfina.

Palavras-chave : medição da dor; betaendorfina; articulação do joelho.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · pdf em Português | Inglês