SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número3Exercício de força associado a óleo de peixe reduzem massa tumoral e caquexia em ratosReprodutibilidade do teste de caminhada e do degrau de 6 minutos em adultos jovens saudáveis índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

versão impressa ISSN 1517-8692versão On-line ISSN 1806-9940

Resumo

LIMA, Mauricio Correa et al. Força de preensão manual em atletas de judô. Rev Bras Med Esporte [online]. 2014, vol.20, n.3, pp.210-213. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/1517-86922014200301525.

INTRODUÇÃO:

A força de preensão manual é a capacidade da mão em realizar tarefas, imprimir forças e segurar objetos. Dentre os diversos esportes que utilizam a força de preensão manual com predominância em sua prática, um deles é o judô, aonde a força de preensão manual é imprescindível para que o judoca consiga se impor ao adversário, pois está ligada à capacidade de realização do golpe. O objetivo deste estudo foi avaliar a força de preensão manual em atletas de judô.

MÉTODOS:

O estudo contou com a participação de 30 judocas, sendo formado por 15 faixas brancas e 15 faixas pretas, que foram submetidos a uma avaliação da força de preensão com um dinamômetro manual da marca Jamar(r). Foi utilizada a estatística descritiva (média e desvio-padrão) para análise dos dados antropométricos, o teste tde Student para verificação da homogeneidade entre os grupos e o Teste de Shapiro-Wilk para verificação da distribuição. Para análise de comparação intra e intergrupos foi utilizado o Teste de Mann-Whitney para amostras independentes (p≤0,05). Os dados foram analisados através do software BioEstat 5.0.

RESULTADOS:

Os resultados demonstraram que os judocas faixas pretas apresentam uma força de preensão palmar significativamente maior na mão dominante em relação à não dominante, e também significativamente maior em relação aos atletas de faixas brancas tanto na mão dominante quanto na mão não dominante.

CONCLUSÃO:

Atletas de judô faixas pretas têm preensão manual mais forte do que os atletas de faixas brancas, sugerindo que quanto maior o tempo de prática esportiva na modalidade, maior a força de preensão manual em ambas as mãos.

Palavras-chave : artes marciais; força da mão; dinamômetro de força muscular.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )