SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 issue1Cold water immersion did not accelerate recovery after a futsal matchEffects of the pilates method in isokinetic torque of knee extensors and flexors: pilot study author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

Print version ISSN 1517-8692

Abstract

MAINARDI, Fernanda; INOUE, Allan; POMPEU, Fernando Augusto de Saboia  and  SANTOS, Tony Meireles. Validade preditiva da medida e estimativas do VO2máx no desempenho de Mountain Bikers. Rev Bras Med Esporte [online]. 2015, vol.21, n.1, pp.44-48. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/1517-86922015210101605.

INTRODUÇÃO:

considerando o racional para a utilização das equações preditivas na estimativa do VO2máxem atletas, nenhum estudo estabeleceu sua validade para o desempenho no mountain bike cross-country(XCO).

OBJETIVO:

comparar diferentes estratégias de determinação do VO2máx, de forma direta ou indireta, para a predição do desempenho em uma prova real e outra simulada.

MÉTODOS:

20 atletas de XCO do sexo masculino (31,6 ± 6,8 anos; 68,1 ± 6,5 kg; 175,5 ± 5,7cm; 64,9 ± 4,4 mL. kg-1.min-1), foram submetidos a três sessões experimentais. A primeira visita consistiu na estratificação de risco, avaliação antropométrica e teste progressivo máximo. Na segunda, foi realizada a prova simulada e, na terceira, foi realizada a competição de XCO.

RESULTADOS:

a correlação entre a prova simulada e as equações preditivas do VO2máx de forma absoluta alcançaram relação quase perfeita (r ≥ 0,9). As correlações entre a competição real e as estimativas de VO2máx relativizadas à massa corporal alcançaram resultados classificados como muito altos (r = 0,7-0,89). As associações entre a medida direta do VO2máx e a simulação apresentaram uma classificação baixa para valores relativos à massa corporal (r = 0,10, IC95%-0,35 a 0,51). Para o desempenho real, a classificação foi moderada (r = 0,48, IC95% 0,009 a 0,78).

CONCLUSÃO:

o presente estudo foi o primeiro a demonstrar a validade preditiva das estimativas do VO2máx para o desempenho simulado e real de MTB. Em complemento, confirmou a baixa validade preditiva da medida direta do VO2máx para o mesmo propósito.

Keywords : reprodutibilidade dos testes; esportes; desempenho atlético; exercício.

        · abstract in English | Spanish     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )