SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 número2Baixa aptidão aeróbia em adolescentes brasileirosPrevalência de sobrepeso e obesidade infantil em instituições de ensino: públicas vs. privadas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

versão impressa ISSN 1517-8692

Resumo

OLIVEIRA, Paulo André Medeiros de et al. Fatores associados à prática de atividade física habitual em mulheres. Rev Bras Med Esporte [online]. 2015, vol.21, n.2, pp.99-103. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/1517-869220152102143422.

INTRODUÇÃO:

a atenção tem se concentrado na investigação da prevalência de atividade física AF em diferentes populações.

OBJETIVO:

analisar os fatores associados à prática de AF habitual em mulheres em regiões de Santa Catarina, Brasil.

MÉTODOS:

o estudo transversal obteve amostra de 2750 mulheres, com média de idade de 32,97 ± 10,9 anos. A AF foi avaliada pelo Questionário Internacional de Atividade Física IPAQ. A amostra foi dividida em seis grupos: Região Sul; Região do Vale do Itajaí; Região Norte; Região Oeste; Região Serrana e Região da Grande Florianópolis, SC, Brasil. A análise estatística foi descritiva e inferencial.

RESULTADOS:

aproximadamente 68,3% das mulheres foram consideradas suficientemente ativas ativas + muito ativas, destacando-se as da Região da Grande Florianópolis. Na prática de atividade moderada e moderada + vigorosa, as mulheres da Região Oeste apresentaram as maiores médias 65 ± 64; 105 ± 102 min/dia, respectivamente, e as de 20 a 32 anos apresentaram 61% de chance de serem consideradas ativas com relação às mulheres de 46 a 59 anos. Quanto ao índice de massa corporal IMC, as mulheres com peso normal das Regiões Sul e Vale do Itajaí, apresentaram 2,24 IC 95% = 1,15-4,35 e 1,76 IC 95% =1,14-2,73 vezes mais chances de serem ativas quando comparadas às mulheres acima do peso.

CONCLUSÃO:

as mulheres das regiões de Santa Catarina foram consideradas suficientemente ativas. A AF moderada + vigorosa foi a mais prevalente nas seis regiões estudadas.

Palavras-chave : exercício; saúde; mulheres.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )