SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 número2Aplicabilidade de um teste de agilidade em jovens futebolistas em campoRespostas mecânicas da musculatura do joelho de bodyboarders de alto nível durante o desempenho índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

versão impressa ISSN 1517-8692

Resumo

SIQUEIRA, Gisela Rocha de; ALENCAR, Geisa Guimarães de; OLIVEIRA, Érika da Cruz de Melo  e  TEIXEIRA, Vanessa Queiroz Melo. Efeito do pilates sobre a flexibilidade do tronco e as medidas ultrassonográficas dos músculos abdominais. Rev Bras Med Esporte [online]. 2015, vol.21, n.2, pp.139-143. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/1517-86922015210202180.

INTRODUÇÃO:

a Pilates consiste em um método de treinamento físico e mental que trabalha a flexibilidade e a força muscular. Esse método prioriza fortalecer o conjunto de músculos responsável pelo controle de tronco, chamado de Powerhouse e, consequentemente, aumentar o trofismo dos músculos abdominais reto do abdome, oblíquo interno e externo, transverso do abdome, glúteos, músculos do períneo e paravertebrais lombares.

OBJETIVO:

avaliar o efeito do método Pilates sobre o trofismo do grupamento abdominal e na flexibilidade do tronco, comparado à aplicação de uma técnica tradicional de fortalecimento dos músculos abdominais e alongamentos estáticos em mulheres saudáveis.

MÉTODOS:

treze mulheres sedentárias e saudáveis na faixa etária entre 18 e 25 anos foram submetidas a 10 sessões de Pilates grupo Pilates, n = 6 e 10 sessões de alongamento e fortalecimento tradicionais grupo controle, n = 7. Antes e após as intervenções, o trofismo da musculatura abdominal das voluntárias foi avaliado através do ultrassom e a flexibilidade do tronco através do flexímetro.

RESULTADOS:

no grupo Pilates, após a intervenção, houve um aumento significativo das medidas ultrassonográficas do reto do abdome, da amplitude da rotação para direita e esquerda e da inclinação da coluna vertebral para a esquerda. No grupo controle, observou-se melhora apenas na rotação para a esquerda.

CONCLUSÃO:

o número de sessões pode ter sido insuficiente para que ocorresse aumento do trofismo de todos os músculos avaliados e da flexibilidade do tronco. É importante investir em pesquisas sobre Pilates, especialmente com a utilização de métodos de imagem mais acurados.

Palavras-chave : fisioterapia; ultrassom; abdome; técnicas de exercício e de movimento.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )