SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número1FATORES ASSOCIADOS À APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRIA DE ESCOLARESÓXIDO NÍTRICO E DINÂMICA DE CA2+ EM CARDIOMIÓCITOS: INFLUÊNCIA DA CAPACIDADE DE EXERCÍCIO índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

versão impressa ISSN 1517-8692versão On-line ISSN 1806-9940

Resumo

SOARES, Enrico Gori et al. EFEITO AGUDO DA ORDEM DE EXERCÍCIOS TRADICIONAL E PRÉ-EXAUSTÃO NO TREINAMENTO DE FORÇA. Rev Bras Med Esporte [online]. 2016, vol.22, n.1, pp.27-30. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/1517-869220162201147847.

Introdução:

Diferentes ordens no sequenciamento dos exercícios na musculação podem afetar o desempenho neuromuscular.

Objetivo:

Investigar o efeito da ordem dos exercícios de musculação (pré-exaustão, (PE) e tradicional, (TR) sobre o desempenho e atividade muscular de peitoral maior (PM) e tríceps braquial (TB) durante a realização dos exercícios de supino reto (SR) e tríceps na polia (TP).

Métodos:

A amostra foi composta de 14 homens treinados (idade: 25±4 anos, estatura: 175±4 cm, massa: 80±11 kg). O experimento foi conduzido em duas sessões. Na primeira, foi realizada a familiarização e determinação de 10 repetições máximas (RM) nos exercícios SR e TP. A segunda foi dividida em duas fases. A primeira fase avaliou o desempenho dos exercícios isoladamente, considerado o controle (CON). A segunda fase, avaliou duas diferentes ordens de exercícios: pré-exaustão, PE (TP e SR) e tradicional, TRAD (SR e TP). Foram avaliados o desempenho e a atividade muscular do PM e TB. One-wayANOVA foi utilizada para comparar as condições. ANOVA (2x3) de medidas repetidas foi utilizada para comparar a atividade muscular.

Resultados:

Os resultados demonstraram um menor número de RM no TP na condição TRAD em comparação com CON e PE. Foi observado um menor número de RM no exercício SR na condição PE em comparação com CON e TRAD. Quanto à atividade muscular avaliada pela eletromiografia integrada não foram observadas diferenças significantes para PM e TB durante a realização dos exercícios em todas as condições.

Conclusão:

Conclui-se que em ambas as estratégias o número de RM realizadas no segundo exercício foi reduzida, entretanto não foram observadas alterações na ativação dos músculos principais de cada exercício.

Palavras-chave : eletromiografia; força muscular; treinamento de força.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )