SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número2EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO EM COMPORTAMENTOS RELACIONADOS COM A ANSIEDADE EM RATOSSUPLEMENTAÇÃO COM ÔMEGA-3 PÓS-RECONSTRUÇÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

versão impressa ISSN 1517-8692versão On-line ISSN 1806-9940

Resumo

SILVA, Carlos Alberto da et al. EFEITO DO EXERCÍCIO DE ALTA INTENSIDADE NA FUNÇÃO ENDOTELIAL DE PACIENTES COM DM2. Rev Bras Med Esporte [online]. 2016, vol.22, n.2, pp.126-130. ISSN 1517-8692.  https://doi.org/10.1590/1517-869220162202151254.

Introdução:

Diabetes melittus é a doença metabólica mais comum no mundo. A disfunção endotelial característica desses pacientes é um dos principais fatores de risco para aterosclerose. O diagnóstico precoce da disfunção endotelial é imprescindível para o tratamento, sobretudo, de maneira não invasiva, tal como dilatação mediada pelo fluxo. O exercício físico é capaz de gerar adaptações benéficas podendo melhorar a função endotelial.

Objetivo:

Identificar o efeito do exercício físico de alta intensidade, usando a técnica clínica de ultrassom, na avaliação da função endotelial de pacientes com síndrome metabólica ou diabetes mellitus tipo dois.

Métodos:

Foram estudados 31 pacientes com diabetes mellitus tipo dois ou síndrome metabólica, com média de idade (± DP) de 58 ± 6 anos, distribuídos aleatoriamente em três grupos. O treinamento foi realizado por 50 minutos, quatro vezes por semana. Antes e depois de seis semanas de treinamento, os indivíduos realizaram o ensaio de resistência e um estudo da função endotelial por ultrassom de alta resolução da artéria braquial.

Resultados:

Depois da hiperemia, a porcentagem do diâmetro arterial foi significativamente maior para o grupo de alta intensidade. (AI antes = 2,52 ± 2,85 mm e depois = 31,81 ± 12,21 mm; BI antes = 3,23 ± 3,52 mm e depois = 20,61 ± 7,76 mm; controles antes = 3,56 ± 2,33 mm e depois = 2,43 ± 2,14 mm; p < 0,05). Conclusões: O treinamento aeróbico de alta intensidade melhorou o endotélio de modo dependente da resposta vasodilatadora, constatada por meio de ultrassom, em pacientes com síndrome metabólica e diabetes tipo 2.

Palavras-chave : ultrassom; diabetes mellitus tipo 2; exercício.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )