SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número6ANÁLISE POR SIMETROGRAFIA E ELETROMIOGRAFIA NA AVALIAÇÃO DE TRATAMENTO DA ESCOLIOSECONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA SOBRE PRESCRIÇÃO DO EXERCÍCIO AERÓBICO E RESISTIDO PARA IDOSOS índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

versão impressa ISSN 1517-8692versão On-line ISSN 1806-9940

Resumo

SOUZA, Henrique Hahn et al. AVALIAÇÃO DO EFEITO DA BANDAGEM ELÁSTICA NO TORNOZELO DE JOGADORES DE BASQUETE COM E SEM INSTABILIDADE CRÔNICA. Rev Bras Med Esporte [online]. 2018, vol.24, n.6, pp.460-464. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/1517-869220182406173600.

Introdução:

O basquete é um esporte que requer boa coordenação motora e movimentos intensos e multidirecionais. A instabilidade crônica de tornozelo acomete cerca de 40% dos pacientes que sofreram lesão por entorse. Visando minimizar os efeitos dessa disfunção, a fita atlética elástica vem sendo bastante usada por suas propriedades mecânicas, apresentando alguns efeitos positivos sobre o desempenho funcional dos atletas.

Objetivo:

Avaliar o efeito da fita atlética elástica no tornozelo de jogadores de basquete com e sem instabilidade crônica.

Método:

Foram avaliados 13 atletas de times de basquete universitário, de ambos os sexos, com idade entre 18 e 30 anos (23,2 ± 3,2 anos), que praticavam a modalidade há pelo menos um ano, com frequência de treino de, no mínimo, duas vezes por semana. Os sujeitos foram avaliados pelo teste de gaveta anterior quanto à presença ou não de instabilidade crônica de tornozelo em três situações distintas: com placebo, com fita atlética elástica e controle, e a ordem de uso dos implementos foi randomicamente determinada, sendo aplicado o Star Excursion Balance Test (SEBT) para avaliar a estabilidade do tornozelo desses atletas.

Resultados:

Entre as oito direções propostas no SEBT, houve significância estatística na diferença em três direções para o placebo, com relação à fita atlética elástica e o controle. Não houve significância estatística na diferença em quatro direções entre as avaliações e não houve significância estatística na diferença em todas as direções entre as avaliações controle e fita atlética elástica.

Conclusão:

A partir deste estudo, foi possível observar que a fita atlética elástica não tem efeitos positivos sobre a estabilização articular em atletas com e sem instabilidade crônica em termos da avaliação da funcionalidade. Nível de Evidência I; Estudo clínico randomizado de alta qualidade com ou sem diferença estatisticamente significante, mas com intervalos de confiança estreitos.

Palavras-chave : Fita atlética; Tornozelo; Atletas.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )