SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.8 número3Os efeitos da exposição aguda e crônica ao etanol sobre o desenvolvimento do encéfalo: uma revisãoEfeito do tempo e da temperatura de estocagem nas determinações de acidez, cálcio, proteínas e lipídeos de leite de doadoras de bancos de leite humano índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil

versão impressa ISSN 1519-3829

Resumo

FAISAL-CURY, Alexandre  e  MENEZES, Paulo Rossi. Atividade sexual em mulheres adolescentes: uma comparação entre dois grupos de adolescentes de classe média de clínica particular de acordo com estado gravídico. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. [online]. 2008, vol.8, n.3, pp. 251-256. ISSN 1519-3829.  http://dx.doi.org/10.1590/S1519-38292008000300003.

OBJETIVOS: investigar padrões de atividade sexual em adolescentes. MÉTODOS: estudo transversal realizado entre julho de 1998 e setembro de 2000, com 117 mulheres adolescentes sexualmente ativas oriundas de clínica privada, em Osasco, São Paulo, Brasil. Foram constituídos dois grupos: um grupo de grávidas (PG) com 62 adolescentes que estavam grávidas (46) ou tiveram gravidez prévia (16); outro grupo não grávidas (NPG), com 55 adolescentes que nunca engravidaram. Uma entrevista semi-estruturada foi conduzida pelo médico durante consulta clínica. Foram avaliados o conhecimento, atitudes e práticas acerca da atividade sexual. A comparação entre os grupos foi feita por meio do teste t de Student, qui-quadrado e teste exato de Fisher. RESULTADOS os dois grupos eram similares quanto aos aspectos sexuais, sendo a coitarca na idade de 15 e a média do número de parceiros, 1,5. Entretanto, adolescentes no PG iniciaram vida sexual mais cedo e usaram menos métodos contraceptivos na primeira relação sexual. Apesar do grande conhecimento sobre contracepção, parte considerável das adolescentes não usou nenhum método durante a coitarca. Na vida sexual atual, cerca de 81% das participantes refere atingir orgasmo. CONCLUSÕES: o conhecimento sobre técnicas contraceptivas não é suficiente para evitar gestações não planejadas, sugerindo a importância de investigar outros aspectos psicosexuais da maternidade e identidade materna entre adolescentes.

Palavras-chave : Adolescentes; Gravidez; Anticoncepção; Sexualidade.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês