SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 número1Confiabilidade inter-observadores da Escala de Saint-Anne Dargassies na avaliação neurológica de recém-nascidos pré-termo sadiosDo sofrimento à resignação: experiência materna com recém-nascido em fototerapia na abordagem Grounded Theory índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil

versão impressa ISSN 1519-3829versão On-line ISSN 1806-9304

Resumo

CORREIA, Luciano Lima et al. Tendência de abortos espontâneos e induzidos na região semiárida do Nordeste do Brasil: uma série transversal. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. [online]. 2018, vol.18, n.1, pp.123-132. ISSN 1806-9304.  https://doi.org/10.1590/1806-93042018000100006.

Objetivos:

este estudo objetiva estimar as taxas, fatores associados e tendência das taxas de aborto no Nordeste do Brasil.

Métodos:

série de estudos transversais realizada no Ceará, um dos estados mais pobres do país. Uma amostra de cerca de 27000 mulheres em idade reprodutiva foi utilizada. A ocorrência de aborto foi aferida através de informação dada pela participante e taxas foram calculadas usando estimativas populacionais oficiais. As tendências e associações entre fatores socioeconômicos e reprodutivos foram estudadas através de modelos regressivos.

Resultados:

foi identificada tendência de redução nas taxas de abortamento. Para aborto induzido, os determinantes foram não ter um parceiro fixo, ter utilizado camisinha na última relação sexual, ter tido o primeiro filho com menos de 25 anos (AOR= 5,21; ACI: 2,9 - 9,34), e ter tido a primeira relação com menos de 13 anos (AOR= 5,88; ACI: 3,29 - 10,51). Para o espontâneo, ter estudado menos de oito anos, conhecimento sobre a pílula do dia seguinte (AOR= 26,44; ACI: 17,9 - 39,05), e não ter filhos (AOR= 3,43).

Conclusões:

as taxas podem ser subestimadas por serem auto relatadas. Estar na adolescência e ter conhecimento sobre métodos contraceptivos foram associados aos dois tipos de aborto, enquanto nível educacional com o espontâneo e estado conjugal com induzido. Programas para reduzir taxas de abortamento deveriam focar em mulheres solteiras e com baixa educação.

Palavras-chave : Saúde da mulher; Aborto; Estudo de prevalência; Brasil; Determinantes epidemiológicos.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )