SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número2Uma nova espécie de Brachygasterina Macquart do Chile (Diptera: Muscidae)Parasitismo de larvas da mosca-do-mediterrâneo por Diachasmimorpha longicaudata (Ashmead) (Hymenoptera: Braconidae) em diferentes cultivares de goiaba índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Neotropical Entomology

versão impressa ISSN 1519-566Xversão On-line ISSN 1678-8052

Resumo

DOETZER, Augusta K.  e  FOERSTER, Luís A.. Desenvolvimento, longevidade e reprodução de Trissolcus basalis (Wollaston) e Telenomus podisi Ashmead (Hymenoptera: Scelionidae) em condições naturais durante a entressafra da soja no sul do Paraná. Neotrop. Entomol. [online]. 2007, vol.36, n.2, pp.233-242. ISSN 1678-8052.  https://doi.org/10.1590/S1519-566X2007000200009.

Investigou-se o desenvolvimento, a longevidade e a reprodução de Trissolcus basalis (Wollaston) e Telenomus podisi Ashmead mantidos em condições naturais durante a entressafra da soja de 1999 a 2001 no sul do Paraná, a fim de se conhecer como esses parasitóides sobrevivem durante o outono e inverno em regiões subtropicais. Adultos de T. basalis e T. podisi emergiram durante o outono e inverno de ovos parasitados a 18ºC entre abril e junho. A longevidade dos adultos em condições naturais foi superior a oito e sete meses, para T. basalis e T. podisi respectivamente, demonstrando que os parasitóides hibernam no estágio adulto. O índice de sobrevivência das fêmeas até o final do inverno foi superior a 85% e a mortalidade acentuou-se significativamente após o início da primavera. Fêmeas dos parasitóides mantidas por até seis meses em condições naturais parasitaram ovos de E. heros após sua transferência para 25ºC e a progênie constou de machos e fêmeas, demonstrando a ocorrência da cópula durante o outono e o inverno. A temperatura durante o desenvolvimento dos estágios imaturos afetou significativamente o potencial dos adultos hibernantes, regulando sua longevidade e capacidade reprodutiva após a dormência. Parasitóides desenvolvidos em temperaturas mais elevadas (início do outono) foram mais bem sucedidos no processo de hibernação, apresentando maior longevidade e parasitando mais ovos hospedeiros após a sua transferência para 25ºC, em relação a fêmeas que nas fases imaturas passaram por temperaturas mais baixas (final do outono).

Palavras-chave : Insecta; controle biológico; percevejo da soja; hibernação; sobrevivência no inverno.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons