SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.62 número4AWater mite predation on zooplankton of a tropical lakeAerobic and anaerobic degradation of tannic acid on water samples from Monjolinho reservoir (São Paulo, SP, Brazil) índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Brazilian Journal of Biology

versión impresa ISSN 1519-6984

Resumen

COSTA, C. T. A.  y  SENE, F. M.. Caracterização do som da corte sexual de espécies do subgrupo fasciola (Diptera, Drosophilidae, grupo repleta): análises interespecíficas e interpopulacionais. Braz. J. Biol. [online]. 2002, vol.62, n.4a, pp. 573-583. ISSN 1519-6984.  http://dx.doi.org/10.1590/S1519-69842002000400003.

Com o objetivo inicial de caracterizar o padrão sonoro da corte sexual de machos de diferentes espécies do subgrupo fasciola e determinar a possível ocorrência de variação e o grau de diferenciação tanto inter como intraespecífico, foram analisados os parâmetros intervalo intrapulso (PI), intervalo interpulso (IPI) e freqüência intrapulso (IF) de 6 diferentes espécies: D. coroica, D. ellisoni, D. fascioloides, D. moju, D. onca e D. rosinae, e três populações de diferentes origens geográficas da espécie D. corioca. Comparações estatísticas entre as 6 espécies mostraram diferenças significativas em relação aos 3 parâmetros analisados. O IPI foi o parâmetro de maior diferenciação interespecífica, mostrando ser importante durante o reconhecimento da fêmea. As hipóteses que podem explicar essas diferenças são: 1. pressões seletivas diferentes com ausência de fluxo gênico, 2. seleção sexual intraespecífica; 3. efeito de simpatria; e 4. deriva genética. As análises realizadas entre as 3 populações da espécie D. coroica mostraram diferenças estatísticas somente em relação ao PI. Essa baixa variabilidade entre populações de uma mesma espécie também já foi encontrada em outros subgrupos e pode ser explicada pelas seguintes hipóteses: forte seleção sobre os parâmetros sonoros, ocorrência de fluxo gênico entre as populações ou colonizações recentes a partir de um ancestral comum. Estudos da corte sonora de outras espécies do subgrupo fasciola e mesmo de espécies de outros subgrupos do grupo repleta, e também estudos relacionados à base genética das diferenças sonoras entre as espécies, utilizando marcadores moleculares, ajudariam a avaliar a relação dos parâmetros sonoros com o processo de isolamento sexual e também a entender a evolução dessas diferenças comportamentais.

Palabras llave : drosophila; subgrupo fasciola; corte sonora; evolução; comportamento.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · pdf en Inglés