SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.72 número2Environmental influences on the composition and structure of the freshwater mussels in shallow lakes in the Cuiabá River floodplainNiche enlargement as a consequence of co-existence: a case study índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Brazilian Journal of Biology

versión impresa ISSN 1519-6984

Resumen

AMARAL, DD et al. Status de conservação das florestas urbanas da Amazônia oriental. Braz. J. Biol. [online]. 2012, vol.72, n.2, pp.257-265. ISSN 1519-6984.  http://dx.doi.org/10.1590/S1519-69842012000200005.

O presente estudo teve o objetivo de identificar a flora arbórea remanescente em seis fragmentos florestais da região metropolitana de Belém-PA, além de analisar esses fragmentos em termos de conservação, riqueza e diversidade no cenário urbano da região. Os fragmentos, com respectivas áreas amostradas, foram: Amafrutas (15 ha), Ilha Trambioca (2 ha), Bosque Rodrigues Alves (15 ha), Ilha do Combu (10 ha), Gunma (10 ha) e Mocambo (5 ha). Os inventários foram realizados utilizando-se parcelas lineares de 250 m2, com inclusão de árvores com diâmetro a 1,3 m do solo (DAP) igual ou acima de 10 cm. Foram registradas 69 famílias e 759 espécies, sendo que oito destas estão em listas oficiais de espécies ameaçadas de extinção (Flora Nacional: Instrução Normativa do MMA de setembro de 2008; Flora do Pará: Decreto 802, de fevereiro de 2008). As espécies ameaçadas são: Aspidosperma desmanthum Benth. ex Müll. Arg. (Apocynaceae), Cedrela odorata L. (Meliaceae), Eschweilera piresii S.A Mori (Lecythidaceae), Euxylophora paraensis Huber (Rutaceae), Hymenolobium excelsum Ducke (Leguminosae), Manilkara huberi (Ducke) Chevalier (Sapotaceae), Tabebuia impetiginosa (Mart. ex DC.) Standl. (Bignoniaceae), Mezilaurus itauba (Meisn.) Taub. ex Mez (Lauraceae) e Qualea coerulea Aubl. (Vochysiaceae). Ações emergenciais, como a implementação dos planos de manejo das Unidades de Conservação (UCs) já existentes, a criação de novas UCs em áreas de fragmentos de florestas primárias (como é o caso da área da Amafrutas), bem como o fortalecimento dos serviços de vigilância e fiscalização, devem ser tomadas pelos órgãos ambientais (municipal, estadual e federal), de forma a assegurar a conservação desses últimos remanescentes de florestas primárias da região metropolitana de Belém-PA.

Palabras clave : remanescentes florestais; Belém; Estado do Pará; fragmentação florestal.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons