SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.72 número4Insectivory in Potamotrygon signata (Chondrichthyes: Potamotrygonidae), an endemic freshwater stingray from the Parnaíba River basin, northeastern BrazilBiology of Bemisia tuberculata Bondar (Aleyrodidae) and parasitism by Encarsia porteri (Mercet, 1928) (Hymenoptera, Aphelinidae) on cassava plants índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Brazilian Journal of Biology

versión impresa ISSN 1519-6984

Resumen

SANTOS-FILHO, M.; FRIEIRO-COSTA, F.; IGNACIO, ÁRA.  y  SILVA, MNF.. Uso de habtats por pequenos mamíferos não-voadores no Cerrado do Brasil Central. Braz. J. Biol. [online]. 2012, vol.72, n.4, pp.893-902. ISSN 1519-6984.  http://dx.doi.org/10.1590/S1519-69842012000500016.

Pequenos mamíferos não voadores são organismos que permitem observações precisas sobre diferenças nos aspectos de riqueza, abundância, composição e uso de habitats. Com a finalidade de investigar a existência dessas diferenças entre Cerrado sensu stricto, Mata de Palmeiras Babaçu, Mata de Galeria e Campo Rupestre, realizaram-se, no período de maio de 1999 a fevereiro de 2000, levantamentos de pequenos mamíferos não voadores na Estação Ecológica Serra das Araras. Houve a captura de 218 indivíduos e 62 recapturas, pertencentes a 21 táxons, sendo 13 roedores e 8 marsupiais, em um total de 13.200 armadilhas × noite. O sucesso total de captura foi de 1,7%. A riqueza total de pequenos mamíferos foi maior nas áreas de matas (Mata de Galeria e Mata de Palmeiras Babaçu) do que nas áreas abertas (Campo Rupestre e Cerrado sensu stricto). A Mata de Palmeiras Babaçu foi a que apresentou a maior riqueza de marsupiais, possivelmente em virtude da qualidade de nicho específico. O Campo Rupestre apresentou menor riqueza, porém com abundância relativa muito alta de algumas espécies, principalmente Thrichomys pachyurus e Monodelphis domestica. Habitats florestados apresentaram similaridade em composição de espécies de pequenos mamíferos. Os habitats abertos Cerrado sensu stricto e Campo Rupestre foram distintos quanto à composição de espécies quando comparados entre si e com áreas florestadas. Diferentes espécies são exclusivas ou têm preferência por habitats específicos do mosaico fitofisionômico que forma o bioma Cerrado. A proteção de ambientaes horizontalmente heterogêneos, como é o caso do Cerrado, é de fundamental importância para manter a diversidade regional do centro-oeste brasileiro.

Palabras clave : Cerrado; Estação Ecológica; Serra das Araras; ecologia de mamíferos.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons