SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.75 número1Non-destructive linear model for leaf area estimation in Vernonia ferruginea LessCyanobacteria bloom: selective filter for zooplankton? índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Brazilian Journal of Biology

versión impresa ISSN 1519-6984

Resumen

TUPINAMBAS, TH. et al. Conteúdo estomacal de peixes em avaliações de comunidades de macroinvertebrados bentônicos. Braz. J. Biol. [online]. 2015, vol.75, n.1, pp.157-164. ISSN 1519-6984.  http://dx.doi.org/10.1590/1519-6984.09913.

A escolha da ferramenta adequada para avaliar as comunidades de macroinvertebrados bentônicos depende dos objetivos do estudo, das características ambientais e dos recursos financeiros disponíveis. Devido à alta capacidade de forrageamento apresentada por espécies de peixes bentófagas e seu acesso a diversos tipos de habitats, a análise do conteúdo estomacal destas espécies pode ser uma ferramenta útil em avaliações de assembleias de macroinvertebrados bentônicos, especialmente em rios grandes, profundos e rápidos, que são difíceis de amostrar através de métodos convencionais de coleta de sedimento. Nosso objetivo foi comparar as assembleias de macroinvertebrados bentônicos amostrados no sedimento com as assembleias amostradas nos estômagos de espécies de peixes bentófagas. Foram coletados peixes e sedimento em três diferentes tipos de habitats (remanso, praia, corredeira) nos períodos úmido e seco ao longo de um único trecho do rio Grande (bacia do rio Paraná, sudeste do Brasil). O sedimento foi amostrado através de uma draga Petersen (total de 216 dragas) e os peixes através de redes de emalhar (total de 36 amostras). Foram analisados os conteúdos estomacais de três espécies de peixes (Eigenmannia virescens Gymnotiformes, Iheringichthys labrosus Siluriformes; Leporinus amblyrhynchus Characiformes). Chironomidae foi a família dominante em ambos os métodos. A composição taxonômica de macroinvertebrados bentônicos encontrados nos estômagos foi diferente daquela amostrada no sedimento. Os taxa de macroinvertebrados amostrados nos estômagos de E. virescens foram mais correlacionados com os três tipos de habitats do que os taxa obtidos nos estômagos das outras duas espécies. As inclinações das curvas cumulativas, assim como os maiores valores de dispersão média, demonstram que E. virescens possui potencial como ferramenta ecológica para acessar as assembleias de macroinvertebrados bentônicos, assim como os maiores valores de dispersão observados. A família Philopotamidae foi encontrada apenas no estômago de L. amblyrhynchus. Concluímos que através da análise do conteúdo do estômago de peixes é possível acessar importantes características das assembleias bentônicas (p.ex. dispersão, composição taxonômica e diversidade). Esta abordagem é especialmente verdadeira em estudos que utilizam apenas as assembleias de peixes para avaliar e/ou monitorar ecossistemas aquáticos. Desta maneira, esse enfoque pode ser útil, aumentando o conhecimento acerca dos impactos humanos sobre os ecossistemas aquáticos e contribuindo para a utilização de diferentes grupos de bioindicadores.

Palabras clave : amostragem em grandes rios; conteúdo estomacal de peixes; interações tróficas; habitats; bioindicadores.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf )