SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.77 número2Lianas, fetos arborescentes e espécies de sub-bosque: indicadores do estado de conservação da Mata Atlântica brasileiraAvaliação da preferência do molusco invasor Melanoides tuberculata pelas macrófitas aquáticas Egeria densa e Chara indica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Brazilian Journal of Biology

versão impressa ISSN 1519-6984versão On-line ISSN 1678-4375

Resumo

GALLO, S. S. M.; EDERLI, N. B.  e  OLIVEIRA, F. C. R.. Diferenças hematológicas e morfométricas de células sanguineas de emas, Rhea americana (Struthioniformes: Rheidae) em dois criatórios conservacionistas. Braz. J. Biol. [online]. 2017, vol.77, n.2, pp.227-233.  Epub 12-Jan-2017. ISSN 1519-6984.  http://dx.doi.org/10.1590/1519-6984.07915.

Atualmente exames de sangue são ferramentas indispensáveis na medicina aviária. Este estudo teve como objetivo descrever e comparar valores hematológicos e morfométricos de eritrócitos, leucócitos e trombócitos de emas, Rhea americana. Para isso, foram selecionadas 58 emas de ambos os sexos de dois criatórios, um em Cachoeiro do Itapemirim, Espírito Santo (ES) e o outro em São Carlos, São Paulo (SP). Amostras de sangue foram coletadas e realizadas a hematimetria, Hto e dosagem de Hb que foram utilizados nos cálculos dos índices hematimétricos. Também foram efetuadas as contagens total e diferencial de leucócitos, além da dosagem de proteínas total e do fibrinogênio séricos. Os resultados referentes às duas propriedades analisadas foram comparados pelo Teste t. Ocorreram diferenças nos parâmetros da série vermelha entre as aves dos dois criatórios devido a um processo de anemia macrocítica hipocrômica observado nas emas do ES. Os valores para a série vermelha e índices hematimétricos como: hematimetria, 2,81±0,15 x106/μl; Hto, 44,20±2,86%; Hb, 12,12±0,74 g/dL; VCM, 15,75±0,89 fL; HCM, 43,18±1,82 pg; CHCM, 27,44±0,80, além dos valores da série branca como: leucometria total, 12.072±4.116/μL, heterofilo, 64,10±9,90%, eosinófilo, 2,05±2,06%, monócito, 6,40±2,99%, linfócito, 26,93±9,62%, basófilo, 0,52±1,27% foram sugeridos como os de referência para as emas criadas no Brasil. Diferenças estatísticas foram observadas no comprimento de eritrócitos, o qual estava maior nas emas de SP do que aquelas do ES. Em relação à largura, os heterófilos, linfócitos e monócitos das aves do ES foram estatisticamente maior do que aquelas das aves de SP. Concluiu-se que emas podem apresentar alterações morfométricas de células sanguíneas e diferenças nos elementos do sangue de acordo com o tipo de manejo a que são submetidos.

Palavras-chave : patologia clínica; testes sanguíneos; morfometria; ratitas.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )