SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.77 número4Nesting of Morelet’s crocodile, Crocodylus moreletii (Dumeril and Bibron), in Los Tuxtlas, MexicoPolyploidy as a chromosomal component of stochastic noise: variable scalar multiples of the diploid chromosome complement in the invertebrate species Girardia schubarti from Brazil índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Brazilian Journal of Biology

versión impresa ISSN 1519-6984versión On-line ISSN 1678-4375

Resumen

ACOSTA, L. G.; JAHNKE, S. M.; REDAELLI, L. R.  y  PIRES, P. R. S.. Diversidade de insetos em arroz irrigado orgânico sob dois manejos da vegetação das taipas. Braz. J. Biol. [online]. 2017, vol.77, n.4, pp.731-744.  Epub 16-Mar-2017. ISSN 1519-6984.  http://dx.doi.org/10.1590/1519-6984.19615.

Os agroecossistemas se caracterizam por ambientes simplificados, com redução da diversidade de plantas associadas, que não são as cultivadas para fins econômicos, causando desequilíbrios que podem levar ao surgimento de insetos nocivos, assim como a diminuição de seus inimigos naturais. Sistemas de manejo que priorizem o aumento da diversidade no agroecossistema podem ampliar a ação de inimigos naturais de pragas. Estudos que busquem entender a diversidade de insetos associados ao cultivo de arroz irrigado, bem como determinar as guildas ou grupos ecológicos aos quais pertencem, podem trazer informações sobre a composição e estrutura dos ecossistemas que possam ser aplicadas no manejo integrado de pragas. Neste sentido, o estudo objetivou conhecer e comparar a diversidade de insetos entre áreas de cultivo orgânico de arroz irrigado, diferenciadas pelo manejo da vegetação das taipas e relacionar com os estádios fenológicos da cultura. As amostragens foram realizadas no distrito de Águas Claras, município de Viamão, RS. A área total de 18 ha foi subdividida em duas. Numa subárea, denominada não roçada (NR) a vegetação espontânea das taipas foi mantida, na outra, roçada (R), foram feitas roçadas mensais das taipas, desde o início do preparo do solo, até a colheita. Entre outubro de 2012 a março de 2013 realizaram-se coletas semanais, em quadrats, situados aleatoriamente tanto nas quadras de arroz quanto nas taipas. Foi coletado um total de 800 insetos, 429 na R e 371 na NR. Foram identificadas 97 morfoespécies na R e 108 na NR, das quais 54 foram compartilhadas entre as subáreas. As guildas registradas foram: saprófagos (R = 38,2%; NR = 27,5%), fitófagos (R = 28,5%; NR = 33,2%), entomófagos (reunindo parasitoides e predadores) (R = 29,4%; NR = 35%) e outros (R = 4%; NR = 4,3%). O pico de abundância de fitófagos e entomófagos foi registrado na fase vegetativa do arroz. Nesta mesma fase, a análise de UPGMA apontou que a similaridade na composição de espécies foi superior a 90% nos grupos obtidos nas lavouras das subáreas R e NR. A vegetação das taipas pode influenciar positivamente a presença de insetos entomófagos no campo. Embora a abundância não tenha variado significativamente entre as áreas, a maior diversidade na área não roçada em todos os grupos, pode contribuir na manutenção de serviços ecológicos aumentando a resiliência dos sistemas.

Palabras clave : arroz orgânico; Insecta; diversidade; riqueza; abundância.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf )