SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 issue2A review of chironomidae studies in lentic systems in the state of São Paulo, BrazilScreening of Brazilian plants for antimicrobial and dnadamaging activities: I. Atlantic rain forest . Ecological station juréia-itatins author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Biota Neotropica

Print version ISSN 1806-129XOn-line version ISSN 1676-0611

Abstract

GIARETTA, Ariovaldo Antonio  and  FACURE, Kátia Gomes. Ecologia e Comportamento Reprodutivo de Thoropa miliaris (Spix, 1824) (Anura, Leptodactylidae, Telmatobiinae). Biota Neotrop. [online]. 2004, vol.4, n.2, pp.1-9. ISSN 1806-129X.  http://dx.doi.org/10.1590/S1676-06032004000200008.

Ecologia e Comportamento Reprodutivo de Thoropa miliaris (Spix, 1824) (Anura, Leptodactylidae, Telmatobiinae). As espécies de Thoropa estão distribuídas no sul e sudeste do Brasil e têm girinos semiterrestres em ambientes rochosos. Aqui apresentamos dados complementares sobre reprodução, cuidado paternal e canibalismo por girinos em T. miliaris. Machos guardiões foram testados quanto a perturbações às suas desovas. As desovas foram postas em faixas de umidade na rocha; os ovos foram postos em camada única e estavam aderidos à superfície da rocha, raízes e uns aos outros. Os girinos eclodiram entre quatro e seis dias após a oviposição. O número de ovos em duas desovas foi 750 e 1190; os ovos eram cinza e a porção vitelínica mediu cerca de 1,7 mm em diâmetro; 2,3 mm com a cápsula gelatinosa. Foram observadas interações agressivas entre os machos. Os machos permaneceram com suas desovas durante a noite e reagiram agressivamente às perturbações experimentais. Girinos em estágios tardios foram vistos canibalizando ovos. Uma desova em uma faixa de umidade recém formada morreu por desidratação. As faixas de umidade na rocha são os únicos locais onde os ovos e os girinos podem se desenvolver e representam um fator limitante para a reprodução porque são raras. Para as fêmeas, a seleção de faixas úmidas recém formadas deve representar um balanço entre as vantagens em ocupar lugares livres de girinos canibais e/ou competidores e os riscos de perda de prole por desidratação. Nossos resultados não apóiam Cycloramphinae como um táxon válido, indicando que as similaridades morfológicas e comportamentais entre as espécies de Thoropa e Cycloramphus devem ser interpretadas como convergência.

Keywords : Thoropa miliaris; cuidado parental; reprodução; canibalismo; Mata Atlântica; Brasil.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License