SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.9 número3Ecology and natural history of a snake assemblage at Núcleo Santa Virgínia, Parque Estadual da Serra do Mar, southeastern BrazilActivity, habitat use, and behavior of the Bothriopsis bilineatus and of the Bothrops atrox (Serpentes: Viperidae) in Moa river forest, Acre - Brazil índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Biota Neotropica

versión impresa ISSN 1806-129Xversión On-line ISSN 1676-0611

Resumen

PEREIRA, Luciana Guedes  y  GEISE, Lena. Mamíferos não-voadores da Chapada Diamantina (Bahia, Brasil). Biota Neotrop. [online]. 2009, vol.9, n.3, pp.185-196. ISSN 1806-129X.  http://dx.doi.org/10.1590/S1676-06032009000300019.

A Chapada Diamantina está localizada na parte central do Estado da Bahia, apresentando grande diversidade de habitats, assim como áreas de transição. Seu isolamento da Mata Atlântica costeira por extensa área de vegetação aberta fazem com que seja uma região de particular interesse na compreensão dos padrões de ocorrência e evolução da mastofauna neotropical. Uma lista de mamíferos não voadores do Parque Nacional da Chapada Diamantina e arredores foi elaborada. O esforço de captura foi realizado apenas para pequenos mamíferos, assim, a sua composição e riqueza de espécies entre habitats (floresta decidual, cerrado sensu stricto e campo rupestre) foram calculadas. Visitas às coleções científicas permitiram, junto com os dados de coletas, a compilação de 58 espécies e 47 gêneros de sete ordens de mamíferos. Sete espécies estão incluídas nas listas de espécies brasileiras ameaçadas de extinção do IBAMA e do IUCN; e outras sete estão classificadas como espécies com pouco conhecimento. A riqueza de espécies de pequenos mamíferos foi equivalente entre os habitats sem relação com o esforço amostral e número de espécies coletadas (10 na floresta decidual, nove em campo rupestre e oito no cerrado sentido restrito). A composição de espécies de pequenos mamíferos variou entre habitats, já que algumas espécies são restritas a ambientes úmidos e com fitosionomia florestal. Durante os quatro períodos de captura foi observada uma maior afinidade de algumas espécies em relação ao tipo de vegetação: oito ocorreram apenas em vegetação aberta, quatro apenas em floresta e seis espécies nos dois tipos de habitats. Oligoryzomys rupestris e Gracilinanus microtarsus tiveram sua distribuição geográfica expandida. A composição faunística apresenta afinidades com a Mata Atlântica com a influência do Cerrado e da Caatinga, com algumas espécies ocupando habitats diferentes daqueles previamente registrados.

Palabras clave : diversidade de mamíferos; zoogeografia; Cerrado; Caatinga; Mata Atlântica.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons