SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.38 issue3Comparison of PCR/albumin ratio with prognostic inflammatory nutritional index (PINI)Reclassification of Malassezia species: a review of its clinical and laboratory significance author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial

Print version ISSN 1676-2444

Abstract

MENDES, Caio et al. Atividade antimicrobiana in vitro de quinupristina/dalfopristina para cocos gram-positivos isolados de cinco centros brasileiros: resultado do estudo de vigilância L-SMART . J. Bras. Patol. Med. Lab. [online]. 2002, vol.38, n.3, pp. 191-197. ISSN 1676-2444.  http://dx.doi.org/10.1590/S1676-24442002000300005.

Há alguns anos tem-se verificado um aumento progressivo da resistência de alguns cocos gram-positivos a determinados antimicrobianos. Este aumento da resistência tem sido observado principalmente no ambiente hospitalar, e as bactérias mais comumente envolvidas são os Staphylococcus spp. e os Enterococcus spp. Devido a este fato, novos antimicrobianos são avaliados para o tratamento de infecções causadas por estas cepas multirresistentes. A associação quinupristina/dalfopristina (Q/D), também conhecida como Synercid®, é um antibacteriano da classe das estreptograminas, de uso endovenoso, composto por dois derivados semi-sintéticos da pristinamicina. A combinação das estreptograminas B e A na razão de 30:70 tem atividade antimicrobiana voltada para cocos gram¾positivos, como Staphylococcus spp., Streptococcus spp., incluindo S. pneumoniae e Enterococcus faecium, sendo o E. faecalis habitualmente resistente. Neste estudo foi avaliada a atividade in vitro de Q/D e outros oito antimicrobianos frente a 631 amostras de cocos gram-positivos isoladas de cinco centros brasileiros, complementadas com outras 20 cepas de E. faecium resistentes à vancomicina, provenientes dos Estados Unidos. Para a avaliação da sensibilidade aos antimicrobianos foi determinada a concentração inibitória mínima (MIC) pelo método do Etest (AB Biodisk, Solna, Suécia) e as cepas testadas foram: Staphylococcus aureus (n = 267), Staphylococcus coagulase negativo (n = 131), Streptococcus pneumoniae (n = 130), Streptococcus beta-hemolíticos (n = 28), Enterococcus faecalis (n = 44) e E. faecium (n = 51). A Q/D demonstrou excelente atividade contra Staphylococcus spp., independente de serem sensíveis ou resistentes à oxacilina. Para S. pneumoniae, a Q/D apresentou igualmente uma ótima atividade, inclusive para as cepas com resistência intermediária ou total para penicilina. Entre as cepas de E. faecium sensíveis à vancomicina, o MIC90 de Q/D obtido foi de 3µg/ml, sendo que 45% das cepas testadas foram sensíveis e 55% apresentaram sensibilidade intermediária à associação. Desta forma, pode-se afirmar que a associação Q/D representa uma nova opção para o tratamento endovenoso de infecções causadas por cocos gram-positivos, principalmente para as cepas multirresistentes, sendo também uma alternativa ao uso de glicopeptídeos.

Keywords : Programas de vigilância de resistência; Resistência a antimicrobianos; Cocos gram-positivos.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese