SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 issue2Histochemical and morphometric analysis of endometriotic lesions induced in female rats and treated with dexamethasone author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial

Print version ISSN 1676-2444

Abstract

OKAMOTO, Cristina Terumy; BAHR, João Augusto; SILVA, Larissa Luvison Gomes da  and  NORONHA, Lúcia de. Análises histopatológica e morfométrica no diagnóstico da "nova" displasia broncopulmonar e comparação clinicopatológica com a forma clássica da doença. J. Bras. Patol. Med. Lab. [online]. 2009, vol.45, n.2, pp. 155-160. ISSN 1676-2444.  http://dx.doi.org/10.1590/S1676-24442009000200011.

INTRODUÇÃO: A displasia broncopulmonar (DBP) continua sendo a principal complicação nos recém-nascidos (RN) prematuros. Com o uso de surfactante exógeno e da prevenção de doenças respiratórias no período neonatal a incidência de DBP clássica vem diminuindo, porém uma nova forma de DBP tem surgido, mais branda e associada aos desenvolvimentos pulmonar alveolar e vascular incompletos. Do ponto de vista anatomopatológico a DBP clássica é caracterizada por processos de lesão e reparação, e os achados da "nova" DBP são de hipoplasia alveolar com nenhuma fibrose. OBJETIVOS: Demonstrar as alterações histopatológicas e morfométricas em pulmões de prematuros que foram a óbito, com quadro clínico compatível com "nova" DBP, comparando-as com um grupo controle (sem DBP) e com a forma clássica da doença, além de correlacionar os três grupos com o tempo de uso de oxigênio entre outros fatores de risco da DBP. MATERIAL E MÉTODOS: A população foi composta por 59 amostras de pulmões de prematuros com idade gestacional (IG) menor que 34 semanas e submetidos à oxigenioterapia. Fatores de risco para DBP foram coletados por meio da revisão de prontuários. Amostras pulmonares foram separadas em dois grupos, o com DBP clássica e o sem DBP clássica. O segundo grupo foi então submetido à análise morfométrica para contagem do número de alvéolos, medidas as áreas e os perímetros dos alvéolos. Após esta análise a população estudada ficou dividida em grupo com DBP clássica; com "nova" DBP (casos com mais de sete dias de oxigenioterapia); e grupo controle ou sem DBP clássica ou "nova" (casos com menos de sete dias de oxigenioterapia). RESULTADOS: o primeiro grupo apresentava inflamação e fibrose septal evidentes. Já os segundo e terceiro grupos apresentavam alterações histopatológicas mínimas, sendo então necessária a análise morfométrica para separá-los. O grupo com "nova" DBP apresentou número de alvéolos, sua área e perímetro diminuídos (p < 0,005) quando comparados ao grupo controle. Não houve diferença estatisticamente significativa entre os três grupos com relação aos fatores de risco para desenvolvimento de DBP. CONCLUSÃO: As formas de DBP clássica e "nova" são de etiologia multifatorial, porém distintas entre si. Para diagnóstico anatomopatológico da "nova" DBP pode ser necessária a análise morfométrica. As alterações histopatológias e morfométricas deste estudo antecederam a necessidade de oxigenioterapia por mais de 28 dias. Portanto, instituir terapêutica para DBP antes do 28º dia de vida em RN prematuro em oxigenioterapia estaria justificado pelos nossos achados histopatológicos e morfométricos.

Keywords : Displasia broncopulmonar; Análise morfométrica.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese