SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.47 número5Hiperplasia nodular da glândula de Bartholin: relato de casos e revisão da literatura índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial

versão impressa ISSN 1676-2444

Resumo

SOARES FILHO, Porphirio José; KANAAN, Salim  e  GUZMAN-SILVA, Maria Angelica. Avaliação do glicogênio hepático correlacionado com glicose sérica em ratas castradas sob tratamento com tibolona. J. Bras. Patol. Med. Lab. [online]. 2011, vol.47, n.5, pp. 561-568. ISSN 1676-2444.  http://dx.doi.org/10.1590/S1676-24442011000500011.

INTRODUÇÃO: O glicogênio representa a forma de armazenamento de açúcares na célula animal, sendo estocada naturalmente no hepatócito. Em sua dinâmica metabólica ocorre participação de receptores, hormônios e enzimas que mantêm e equilibram os níveis séricos desse componente. OBJETIVO: O presente estudo investigou a influência da tibolona no metabolismo glicídico hepático por meio de avaliação da presença do glicogênio hepático e níveis séricos de glicose. MATERIAL E MÉTODOS: Utilizamos ao todo 14 ratas Wistar, em menopausa cirúrgica comprovada citologicamente, tratadas diariamente com tibolona (n = 9) ou com placebo (n = 5) durante 20 semanas. Efetuou-se avaliação dos pesos do animal e do fígado e dos níveis de glicose sérica. O estudo morfológico foi realizado em cortes histológicos de tecido hepático, corados com hematoxilina e eosina (HE) e com ácido periódico de Schiff (PAS), com e sem amilase salivar. Para avaliação do glicogênio no fígado, utilizou-se grade de estudo morfológico (GEM), que delineia as regiões metabólicas e circulatórias do lóbulo hepático. RESULTADOS: O peso dos animais foi menor no Grupo Tibolona, com glicose sérica em níveis mais baixos; já o peso relativo do fígado foi significativamente maior (p < 0,001). No Grupo Controle o glicogênio apresentou distribuição heterogênea em três diferentes padrões e o Grupo Tibolona mostrou glicogênio uniforme em toda a estrutura lobular. CONCLUSÃO: A tibolona, administrada em alta dose e por tempo prolongado, determina perda de peso por deficiência alimentar, que leva a alterações nas funções hepáticas, podendo influir na glicogenólise e na gliconeogênese, com modificações do glicogênio hepático e da glicose circulante.

Palavras-chave : Tibolona; Menopausa; Glicemia; Glicogênio; Fígado; Roedores.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português