SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.47 número6Histomorfometria, apoptose e proliferação celular em neoplasias intraepiteliais do colo uterinoClassificação dos tumores hematopoéticos e linfoides de acordo com a OMS: padronização da nomenclatura em língua portuguesa, 4ª edição índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial

versão On-line ISSN 1678-4774

Resumo

ZERBINI, Maria Cláudia Nogueira. Exame imuno-histoquímico na biópsia de medula óssea: uma importante ferramenta complementar à morfologia. J. Bras. Patol. Med. Lab. [online]. 2011, vol.47, n.6, pp.635-642. ISSN 1678-4774.  http://dx.doi.org/10.1590/S1676-24442011000600010.

Por razões técnicas e históricas, a utilização da imuno-histoquímica (IHQ) em biópsias de medula óssea (BMO) levou algum tempo a ocupar espaço na avaliação diagnóstica desse tipo de material. Entretanto, esse cenário vem se modificando graças ao crescimento exponencial do número de anticorpos disponíveis para a utilização em material incluído em parafina, além do aperfeiçoamento das técnicas de recuperação antigênica e descalcificação do material. Este texto tem a finalidade de auxiliar o patologista na seleção/ interpretação de painéis de anticorpos utilizados nos laboratórios de rotina, de acordo com a experiência do autor, assim como de enumerar referências da literatura de grande utilidade para a prática diagnóstica.

Palavras-chave : Biópsia da medula óssea; Imuno-histoquímica; Histologia.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons