SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.48 número2Prevalência de Salmonella enterica em crianças com idade inferior a 5 anos com diarreia aguda e controles em Teresina-PIParvovirose e anemia acentuada em paciente imunocompetente índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial

versão impressa ISSN 1676-2444

Resumo

MELLO, Ricardo Obalski de et al. N-acetilcisteína e frutose-1,6-bisfosfato: efeito imunomodulador em cultura de células mononucleares. J. Bras. Patol. Med. Lab. [online]. 2012, vol.48, n.2, pp. 109-115. ISSN 1676-2444.  http://dx.doi.org/10.1590/S1676-24442012000200007.

INTRODUÇÃO: A sepse é uma síndrome complexa causada pela resposta inflamatória sistêmica descontrolada. As citocinas inflamatórias representam papel central na patogênese do choque séptico. Têm sido testadas estratégias terapêuticas a fim de modular a geração ou a função excessiva de mediadores na sepse. OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi investigar o efeito terapêutico da N-acetilcisteína (NAC) e sua associação com a frutose-1,6-bisfosfato (FBP) sobre a proliferação de linfócitos T e a geração de interleucina-1β (IL-1β) e proteína quimiotática de monócitos 1 (MCP-1) em cultura celular. MATERIAL E MÉTODOS: Foram isoladas células mononucleares de sangue periférico de indivíduos saudáveis. Os linfócitos T foram estimulados por 96 horas com fitohemaglutinina e submetidos a diferentes concentrações de NAC ou NAC associada à FBP (1,25 mM). RESULTADOS: O tratamento com NAC (10 e 15 mM) ou NAC (15 mM) associado à FBP reduziu a proliferação celular. Os níveis de IL-1β aumentaram com a presença de NAC (15 mM) e NAC + FBP. A concentração de MCP-1 mostrou-se reduzida apenas no grupo tratado com NAC associada à FBP. CONCLUSÃO: Os resultados sugerem que tanto a NAC quanto a NAC associada à FBP são capazes de inibir a proliferação celular, atuando como potentes agentes imunomoduladores, sugerindo seu uso em doenças inflamatórias.

Palavras-chave : Frutose-1; 6-bisfosfato; N-acetilcisteína; Linfócitos T; Interleucina 1β; MCP-1.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês