SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 número3Frontal lobe disfunction in children and adolescents with temporal lobe epilepsy and possible correlation with psychiatric disordersMesial temporal lobe epilepsy syndrome: an updated overview índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Journal of Epilepsy and Clinical Neurophysiology

versión impresa ISSN 1676-2649

Resumen

FONTOURA, Denise Ren da et al. Dissociação entre alterações de linguagem e preservação da musicalidade em uma criança com epilepsia refratária. J. epilepsy clin. neurophysiol. [online]. 2005, vol.11, n.3, pp. 137-140. ISSN 1676-2649.  http://dx.doi.org/10.1590/S1676-26492005000300005.

Introdução: Estabelecer uma relação entre epilepsia e linguagem é uma tarefa bastante complexa, visto que existem muitas variáveis envolvidas. Dessa forma, podem ocorrer alterações de linguagem expressiva e compreensiva, e em alguns casos a preservação da musicalidade e da prosódia podem estar presentes. Objetivos: O objetivo deste estudo foi descrever o caso de uma criança com crises epilépticas refratárias multifocais que mostrou uma intrigante dissociação entre o comprometimento de funções de linguagem e a preservação da musicalidade. Métodos: Relato do caso de um menino de 9 anos, internado no Programa de Cirurgia de Epilepsia (PCE) do Hospital São Lucas (HSL) da PUCRS, em novembro de 2004, por apresentar crises epilépticas refratárias. Foram realizados exames clínicos, neurofisiológicos, de neuroimagem e avaliação neuropsicológica. Resultados: Os aspectos lingüísticos do paciente caracterizam uma disfasia, com alterações significativas de expressão e de compreensão da linguagem oral (lobo temporal esquerdo), mas adequação nos aspectos prosódicos da fala e do canto (hemisfério direito). Além disso, a avaliação mostrou um importante atraso global de desenvolvimento neuropsicomotor e alterações comportamentais. Conclusão: Os dados deste trabalho evidenciam a interferência da epilepsia refratária na infância nas habilidades cognitivas, sendo o foco epileptogênico determinante nas alterações lingüísticas. Ressalta-se a importância da avaliação neuropsicológica para mensurar alterações provenientes desta patologia, assim como, identificar áreas da linguagem preservadas, como a musicalidade neste caso, permitindo um elo de ligação para comunicação, avaliação e reabilitação cognitiva.

Palabras llave : linguagem; epilepsia refratária; alterações de linguagem; avaliação neuropsicológica.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués     · pdf en Portugués