SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.7 número4Perviedade e complicações no seguimento de cateteres venosos totalmente implantáveis para quimioterapiaAvaliação do volume de fluxo venoso da bomba sural por ultra-sonografia Doppler durante cinesioterapia ativa e passiva: um estudo piloto índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Jornal Vascular Brasileiro

versão impressa ISSN 1677-5449

Resumo

FIGUEIREDO, Marcondes; SIMAO, Patrícia Polizel; PEREIRA, Beethoven Marques Alves  e  PENHA-SILVA, Nilson. Eficácia da compressão pneumática intermitente (CPI) nos membros inferiores sobre o fluxo sanguíneo das veias femorais comuns. J. vasc. bras. [online]. 2008, vol.7, n.4, pp. 321-324. ISSN 1677-5449.  http://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492008000400006.

CONTEXTO: A profilaxia do tromboembolismo venoso pode ser feita por métodos farmacológicos ou de forma mecânica, com o uso de meias antitrombo e compressão pneumática (CPI). A CPI é um método mecânico de profilaxia que merece melhor atenção da comunidade médica. OBJETIVO: Avaliar o efeito do uso de compressão pneumática intermitente (CPI) nos pés, pernas e coxas de adultos saudáveis sobre o fluxo sanguíneo nas veias femorais comuns. MÉTODOS: A amostra foi constituída de 10 voluntários (sete mulheres e três homens) adultos (20-40 anos), sem antecedente de tromboembolismo venoso. Após repouso (10 min) em decúbito dorsal, o fluxo sanguíneo era medido (três vezes) por ultra-sonografia vascular na veia femoral, a 1 cm acima da junção safeno-femoral, em ambos os membros, sem controle e com CPI no pé, perna e na coxa. A compressão (130 mmHg no pé e 45 mmHg na perna e na coxa) foi aplicada em ciclos de 11 segundos de compressão e 20-60 segundos de esvaziamento. As aferições de fluxo foram realizadas no pico de fluxo do ciclo de compressão. Os valores foram comparados por análise de variância (teste de Tukey), com p < 0,05 indicando diferença estatisticamente significante. RESULTADO: A utilização de CPI nos membros inferiores, esquerdo e direito, promoveu elevações percentuais relativas no fluxo venoso femoral de 37,6 e 70,8% (pés), 143,9 e 164,7% (pernas) e 132,6 e 128,9% (coxas), respectivamente. As variações foram estatisticamente significantes para as aplicações nas pernas e coxas. CONCLUSÃO: A CPI melhora o fluxo sanguíneo quando aplicada na perna ou na coxa.

Palavras-chave : Dispositivo de compressão pneumática intermitente; trombose venosa; ultra-sonografia; veia femoral.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · pdf em Português