SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.7 issue4Efficacy of intermittent pneumatic compression (IPC) in lower limbs on the blood flow of common femoral veinsFrequency of mechanical prophylaxis for deep venous thrombosis in patients admitted to an emergency room in Maceió, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Jornal Vascular Brasileiro

Print version ISSN 1677-5449On-line version ISSN 1677-7301

Abstract

CAMPOS, Carmindo Carlos Cardoso; ALBUQUERQUE, Patrícia Cavalcanti de  and  BRAGA, Ivson José da Silva. Avaliação do volume de fluxo venoso da bomba sural por ultra-sonografia Doppler durante cinesioterapia ativa e passiva: um estudo piloto. J. vasc. bras. [online]. 2008, vol.7, n.4, pp.325-332. ISSN 1677-5449.  http://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492008000400007.

CONTEXTO: O fisioterapeuta na unidade hospitalar atua sobre os efeitos da hipoatividade ou inatividade do paciente acamado. Na prática diária, a contração do músculo da panturrilha é difundida entre os profissionais de saúde no ambiente hospitalar, principalmente nos períodos de pré e pós-operatório, como forma de diminuir a estase venosa e os riscos de trombose venosa profunda nos membros inferiores. OBJETIVO: Avaliar o volume de fluxo venoso na bomba sural, através de ultra-sonografia doppler, durante cinesioterapia ativa e passiva (flexão plantar do tornozelo). MÉTODOS: A amostra foi constituída por 30 indivíduos escolhidos aleatoriamente e submetidos a ultra-sonografia doppler da veia poplítea direita, visando mensurar o volume de fluxo sanguíneo em quatro momentos: repouso, compressão manual da panturrilha, movimentação passiva e ativa do tornozelo em flexão plantar. Na análise dos resultados, utilizou-se o teste t, sendo utilizado um valor de p < 0,05 como índice de significância estatística. RESULTADOS: Na amostra constituída, 16 eram do sexo feminino e 14 do sexo masculino, apresentando as seguintes médias: idade (31,57 anos), altura (1,68 m), peso (68,25 kg) e índice de massa corporal (24,16). Na análise estatística, a flexão plantar do tornozelo realizada de forma passiva, quando comparada ao valor basal, é significante (p < 0,000056) em relação à ativação da bomba sural, embora não tanto quanto o exercício ativo (p < 0,0000016). Também mostrou significância a compressão manual do músculo tríceps sural em relação ao exercício passivo (p < 0,000000081). CONCLUSÃO: Neste estudo, a flexão plantar do tornozelo de forma ativa mostrou-se estatisticamente mais eficaz do que a passiva na ativação da bomba sural, aumentando o volume do fluxo de sangue na veia poplítea e diminuindo a estase venosa nos membros inferiores.

Keywords : Fisioterapia; bomba sural; ultra-sonografia Doppler em cores.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License