SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.8 número4Prevalence of peripheral occlusive arterial disease in patients with chronic renal failure índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Jornal Vascular Brasileiro

versión impresa ISSN 1677-5449

Resumen

KHANDANPOUR, Nader et al. Vantagem associada ao uso de enxertos femorodistais para isquemia aguda de membros. J. vasc. bras. [online]. 2009, vol.8, n.4, pp. 294-300. ISSN 1677-5449.  http://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492009000400003.

Contexto: Já foi mostrado que veias autógenas estão associadas às melhores taxas de salvamento de membros para a cirurgia de bypass femorodistal. No entanto, em cenários de emergência, quando não há uma veia autógena disponível, é crítica a decisão entre o uso de material de enxerto sintético ou a amputação. Objetivo: Avaliar a adequação de enxertos femorodistais para isquemia aguda de membros em cenários de emergência. Métodos: Pacientes submetidos a cirurgia de bypass de urgência e cirurgia de bypass femorodistal eletiva entre 1996 e 2006 foram retrospectivamente revisados em um único centro. Resultados: Havia 147 pacientes, dentre os quais 84 haviam sido submetidos à cirurgia de bypass eletiva e 63 à cirurgia de bypass de urgência. As taxas de patência dos enxertos para internações eletivas foram 44 e 25% versus 25 e 23% para internações para cirurgia aguda de enxerto femorodistal a dois e quatro anos, respectivamente (p < 0,004). Internações por isquemia aguda que foram tratadas com enxertos prostéticos tiveram patência primária de 24 versus 27% para enxertos venosos a 2 anos e 24 versus 23% a 4 anos (p = 0,33). No grupo de enxertos femorodistais agudos, patência primária a 2 anos para enxertos venosos e prostéticos foi de 27 e 24%, comparado a 42 e 32% para eletivas. Esses valores para taxas de salvamento de membros em bypasses eletivos foram 73 e 63%, comparadas a 52% em ambos pontos no tempo para o grupo de enxerto femorodistal agudo (p < 0,004). Em cenários de emergência, a taxa de salvamento de membros para bypass femorodistal com enxertos prostéticos foi de 38% e para enxertos venosos a taxa foi de 62% em ambos pontos no tempo (p = 0,08). Conclusão: A taxa de 38% para salvamento de membros a longo prazo indica que a revascularização femorodistal de urgência é vantajosa.

Palabras llave : Modo de internação; femorodistal; enxerto de bypass; cirurgia vascular.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · pdf en Inglés