SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.9 número2Conhecimento sobre anticoagulantes orais e seu manejo por médicos de pronto atendimento índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal Vascular Brasileiro

versão impressa ISSN 1677-5449

Resumo

BARROS, Fanilda Souto et al. Avaliação de varizes pélvicas por Doppler colorido: comparação dos resultados obtidos com ultrassom dos membros inferiores, ultrassom transvaginal e flebografia. J. vasc. bras. [online]. 2010, vol.9, n.2, pp.15-23. ISSN 1677-5449.  http://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492010000200002.

Introdução: AS VARIZES Pélvicas, uma das principais causas de dor pélvica crônica e dispareunia, são uma importante fonte de refluxo para as varizes dos membros inferiores, especialmente em casos recorrentes. O Doppler colorido dos membros inferiores e o ultrassom transvaginal são os métodos diagnósticos não-invasivos mais comumente usados para avaliar a insuficiência venosa pélvica, enquanto a flebografia ainda é considerada como o padrão-ouro. Objetivos: Determinar a prevalência de varizes dos membros inferiores originadas na pélvis em um grupo de pacientes do sexo feminino e determinar a concordância entre os resultados obtidos por Doppler colorido dos membros inferiores, ultrassom transvaginal e flebografia. Métodos: A AMOstra incluiu pacientes do sexo feminino encaminhadas para o laboratório vascular para triagem dos membros inferiores. As pacientes diagnosticadas com trombose venosa profunda foram excluídas. A análise dos dados incluiu o coeficiente de concordância kappa, o teste de McNemar e os valores de sensibilidade e especificidade. Resultados: De um total de 1.020 pacientes, 124 (12.2%) tiveram achados compatíveis com refluxo de origem pélvica. Entre essas pacientes, 51 (41.2%) eram casos recorrentes. Um total de 249 foram submetidas a ultrassom transvaginal. Houve concordância significativa entre os achados ultrassonográficos dos membros inferiores e os achados transvaginais. A flebografia foi realizada em 54 pacientes. A comparação entre o ultrassom transvaginal e a flebografia foi associada a 96.2% de sensibilidade e 100% de especificidade. Conclusões: OS AUTores chamam a atenção para a prevalência relativamente alta de varizes dos membros inferiores originadas na pélvis, sugerindo uma importante, embora subdiagnosticada, causa de varizes recorrentes.

Palavras-chave : Doppler colorido; varizes pélvicas; ultrassonografia Doppler transvaginal; flebografia.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons