SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 número1Pesquisa sobre escleroterapia líquida em varizes dos membros inferioresPioderma Gangrenoso: um Artigo de Revisão índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal Vascular Brasileiro

versão impressa ISSN 1677-5449

Resumo

GALEGO, Sidnei José et al. Experiência inicial com dispositivo de reversão de fluxo para proteção cerebral na angioplastia carotídea. J. vasc. bras. [online]. 2013, vol.12, n.1, pp.16-24. ISSN 1677-5449.  http://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492013000100005.

OBJETIVO: Relatar os achados iniciais da utilização do GORE Flow Reversal System® (Sistema de Fluxo de Reversão), com foco em eventos adversos maiores/menores nos primeiros 30 dias do pós-operatório. MÉTODOS: Os primeiros 24 pacientes submetidos a angioplastia carotídea com a utilização do sistema GORE, de junho de 2010 a maio de 2012, foram avaliados retrospectivamente com relação a indicações, detalhes anatômicos, dificuldades técnicas e desfechos clínicos imediatos, incluindo eventos adversos maiores (acidente vascular cerebral, morte, infarto agudo do miocárdio) e menores (hematoma). RESULTADOS: Hipertensão sistêmica estava presente em 100% dos pacientes, diabete melito em 58,3% e doença coronariana em 37,5%. Arco aórtico tipo II foi encontrado em 62,5% dos pacientes e lesão de aterosclerose predominantemente na bifurcação carotídea que afeta as artérias carótidas internas e comuns em 79,2%. Dados angiográficos revelaram artérias carótidas contralaterais com estenose <50% em 95,8% de casos e preservação de fluxo sanguíneo cerebral em 95,8%. Todos os procedimentos, com exceção de um, foram tecnicamente bem sucedidos. A média do tempo de reversão do fluxo cerebral foi de 14,9 minutos, com uma diferença estatisticamente significativa entre os primeiros 12 pacientes (17,9 minutos) e os últimos 12 pacientes tratados (11,6 minutos) (p<0,001). Intolerância à reversão de fluxo foi observada em 17,4% dos casos. Ocorreram dificuldades técnicas em 1 paciente (4,2%). Desfechos clínicos incluíram 4,2% de acidente vascular cerebral e 12,5% de hematomas em locais de punção arterial. CONCLUSÃO: O sistema foi tecnicamente eficaz. Uma redução significativa no tempo de reversão do fluxo cerebral foi observada e as taxas de eventos adversos maiores/menores ficaram dentro de limites aceitáveis, sugerindo que o dispositivo é seguro e eficaz.

Palavras-chave : angioplastia; proteção cerebral; complicações.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons