SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 número4Prevalencia de trombose venosa profunda em paraplegicos de causa traumaticaInfarto agudo do miocardio em pacientes portadores de isquemia critica submetidos a revascularizacao de membros inferiores índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal Vascular Brasileiro

versão impressa ISSN 1677-5449

Resumo

SANTOS, Vanessa Prado dos; ALVES, Carlos Alberto Silveira; LOPES, Cicero Fidelis  e  ARAUJO FILHO, Jose Siqueira de. Diferenças entre os gêneros em pacientes com isquemia crítica por doença arterial obstrutiva periférica. J. vasc. bras. [online]. 2013, vol.12, n.4, pp.278-283.  Epub 11-Nov-2013. ISSN 1677-5449.  http://dx.doi.org/10.1590/jvb.2013.053.

CONTEXTO:

A mortalidade por doença cardiovascular vem declinando entre os homens e aumentando entre as mulheres norte-americanas. Pesquisas mostraram diferenças relacionadas ao gênero na epidemiologia da doença aterosclerótica.

OBJETIVO:

Estudar possíveis diferenças entre pacientes com isquemia crítica por doença arterial obstrutiva periférica (DAOP), de ambos os gêneros, em relação à presença de fatores de risco para a aterosclerose e características da DAOP infrainguinal.

MÉTODOS:

Foram incluídos 171 doentes internados com isquemia crítica por DAOP infrainguinal. Estudamos comparativamente, entre homens e mulheres, as características clínicas (Classificação de Rutherford e território da DAOP), a presença de fatores de risco para a aterosclerose (diabetes, idade, tabagismo e hipertensão arterial) e o número de artérias com alguma opacificação nas angiografias digitais da perna. A análise estatística foi realizada pelo EPI-INFO. Considerou-se significante p <0,05.

RESULTADOS:

Dentre os 171 casos, a média de idade foi 70 anos, sendo 88 doentes do gênero masculino (52%). A maioria dos pacientes, de ambos os gêneros, era Categoria 5 da Classificação de Rutherford (82% dos homens e 70% das mulheres/ p =0,16). O gênero feminino apresentou média de idade mais avançada (73 VS 67 anos/ p =0,0002), maior prevalência de diabetes (66% VS 45%/ p =0,003) e de HAS (90% VS 56%/ p =0,0000001). Os homens mostraram maior prevalência de tabagismo (76% VS 53%/ p =0,0008). Nas arteriografias, 74% das mulheres (VS 50% homens) apresentaram opacificação de apenas uma artéria na perna

CONCLUSÃO:

O estudo mostrou que existe diferença entre homens e mulheres com isquemia crítica em relação à prevalência dos fatores de risco para aterosclerose e às características da DAOP.

Palavras-chave : gênero; aterosclerose; isquemia; doença arterial obstrutiva periférica.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )