SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 número4Diferencas entre os generos em pacientes com isquemia critica por doenca arterial obstrutiva perifericaInvestigacao de edema postural de membros inferiores em agentes de transito índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal Vascular Brasileiro

versão impressa ISSN 1677-5449

Resumo

LINS, Esdras Marques et al. Infarto agudo do miocárdio em pacientes portadores de isquemia crítica submetidos a revascularização de membros inferiores. J. vasc. bras. [online]. 2013, vol.12, n.4, pp.284-288. ISSN 1677-5449.  http://dx.doi.org/10.1590/jvb.2013.059.

CONTEXTO:

A doença arterial obstrutiva periférica (DAOP) afeta os membros inferiores (MMII) e tem como principal causa a aterosclerose. Por se tratar de uma doença sistêmica, é frequente que a aterosclerose cause o envolvimento simultâneo de outros sítios arteriais, especialmente das artérias coronárias. Desta forma, os pacientes submetidos a cirurgia de reconstrução arterial periférica, devido a isquemia crítica dos MMII, apresentam maior chance de infarto agudo do miocárdico (IAM). Apesar disso, há na literatura poucos relatos que avaliem a prevalência do IAM adequadamente neste grupo de pacientes.

OBJETIVO:

Avaliar incidência do infarto agudo do miocárdio no pós-operatório imediato de pacientes submetidos à revascularização de MMII devido a DAOP.

MATERIAL E MÉTODOS:

Foram avaliados 64 pacientes portadores de DAOP submetidos a 82 cirurgias de revascularização arterial dos MMII, no período de fevereiro de 2011 a julho de 2012. Os pacientes foram submetidos no pós-operatório imediato (até 72 horas) a eletrocardiograma (ECG) e dosagem sanguínea de troponina I cardíaca.

RESULTADOS:

Considerando as 82 cirurgias realizadas, em cinco (6%) casos, foram encontradas alterações no ECG e elevação sanguínea da troponina I cardíaca compatíveis com infarto agudo do miocárdio. Considerando apenas as 52 cirurgias feitas por técnica convencional, a incidência de IAM foi de 9,6%. Dois pacientes evoluíram ao óbito.

CONCLUSÃO:

No presente estudo, a incidência do infarto agudo do miocárdio nos pacientes submetidos à revascularização arterial de membros inferiores por DAOP foi de 6%. Considerando apenas as cirurgias feitas por técnica convencional, a incidência de IAM foi de 9,6%.

Palavras-chave : doença arterial periférica; infarto do miocárdio; período pós-operatório.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )