SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 número3Doença periodontal e ateroscleroseAnálise da atividade enzimática de MMP-2 e 9 coletadas por swab em úlcera venosa de membro inferior índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal Vascular Brasileiro

versão impressa ISSN 1677-5449versão On-line ISSN 1677-7301

Resumo

YUAN, Shi-Min. Aneurismas de artérias pulmonares na doença de Behçet. J. vasc. bras. [online]. 2014, vol.13, n.3, pp.217-228. ISSN 1677-5449.  http://dx.doi.org/10.1590/jvb.2014.041.

Os aneurismas das artérias pulmonares (PAA) são as manifestações mais comuns dos pulmões na doença de Behçet. No entanto, as relações entre as características clínicas e o prognóstico ainda não foram devidamente explicadas. O objetivo do presente artigo foi fazer uma ampla revisão da literatura sobre esta questão. As fontes de dados contaram com uma ampla revisão bibliográfica dos anos de 1990 a 2013, sobre os seguintes temas: doença de Behçet, síndrome de Hughes-Stovin, aneurisma de artéria pulmonar e pseudoaneurisma da artéria pulmonar. Os PAA evoluíram com predileção por hemoptise, aumento de dimensões, localização no lobo inferior direito, multiplicidade e formação de trombo intramural. A intervenção cirúrgica foi necessária em um terço dos pacientes. O tratamento cirúrgico emergencial foi indicado na vigência de ruptura do PAA e de hemoptise maciça. Os pacientes tratados conservadoramente evoluíram com propensão para a progressão do PAA. A embolização dos PAA foi associada a uma taxa maior de recidiva e de reintervenção. Houve diferença significativa entre os grupos quanto às taxas de mortalidade, tendo o grupo do tratamento cirúrgico apresentado a maior taxa. Dentre as variáveis citadas, a hemoptise, o envolvimento da artéria lobar e a ruptura do PAA foram fatores preditivos de maior risco de mortalidade. Houve diferenças significativas nas taxas de mortalidade entre os pacientes cirúrgicos e intervencionistas, e entre os três grupos de pacientes: cirúrgico, intervencionista e conservador. Os pacientes tiveram uma sobrevida global de 61,7% em um seguimento médio de 22,5 meses. Os PAA, na doença de Behçet, apresentaram as seguintes predileções: tendência a hemoptise, multiplicidade, localização no lobo inferior direito e presença de trombos intramurais. As rupturas e hemorragias dos PAA, aliadas ao necessário tratamento cirúrgico emergencial, resultaram no aumento de mortalidade destes pacientes.

Palavras-chave : hemoptise; embolização terapêutica; vasculite.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )