SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 issue4Innovations in vascular and endovascular surgery in Brazil: a data analysis studyImpact of continuing education in vascular images analysis for endovascular planning author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Jornal Vascular Brasileiro

Print version ISSN 1677-5449On-line version ISSN 1677-7301

Abstract

MIRANDA, Samuel de Paula et al. Análise comparativa entre tratamentos convencional e endovascular de aneurisma de aorta abdominal. J. vasc. bras. [online]. 2014, vol.13, n.4, pp.276-284. ISSN 1677-5449.  http://dx.doi.org/10.1590/1677-5449.0118.

Contexto:

O aneurisma de aorta abdominal (AAA) é uma condição frequentemente assintomática, porém potencialmente fatal, cuja prevalência em homens com 60 anos ou mais está entre 4,3% e 8%. Existem duas modalidades de tratamento disponíveis: cirurgia aberta (TA) e endovascular (TE).

Objetivo:

Comparar os resultados dessas duas modalidades de tratamento, entre 2008 e 2013, em um hospital terciário.

Métodos:

Análise retrospectiva comparando 119 pacientes submetidos ao TA e 219 pacientes submetidos ao TE, para correção de AAA.

Resultados:

O grupo submetido ao TE apresentou maior idade (71,3 vs. 68,2 anos; p<0,001) e doença coronariana (44,7% vs. 27,7%; p=0,002), além de menor fração de ejeção (57,6% vs. 64,3%; p<0,001); por sua vez, o grupo submetido ao TA exibiu mais doença pulmonar obstrutiva crônica (16,0% vs. 5,9%; p=0,004) e menor colo proximal infrarrenal (15,5 mm vs. 23,0 mm; p<0,001). Entretanto, não houve diferença na classificação ASA (American Society of Anesthesiology) (p=0,36). O grupo de TE apresentou menor sangramento intraoperatório (171 mL vs. 729 mL; p<0,001), com menor necessidade de hemotransfusão (11,9% vs. 73,1% p<0,001), menor permanência em UTI (2,4 vs. 3,5 dias; p=0,002) e menor tempo de internação hospitalar (5,8 vs. 10,3 dias; p<0,001). A mortalidade em 30 dias foi semelhante (TA 5,0% vs. TE 4,1%; p=0,78), também não havendo diferença nas complicações pós-operatórias. O custo médio do TE foi maior (R$34.277,76 vs. R$4.778,60; p<0,001).

Conclusão:

As taxas de morbimortalidade foram semelhantes, sendo no TE o sangramento, a necessidade transfusional e a duração da internação hospitalar menores, porém com custo mais elevado.

Keywords : aneurisma de aorta abdominal; procedimentos cirúrgicos vasculares; procedimentos endovasculares.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )