SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número3Frequência e fatores relacionados ao índice tornozelo-braquial aberrante em diabéticosPrevenção de tromboembolismo venoso em hospital com perfil oncológico: como melhorá-la? índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal Vascular Brasileiro

versão impressa ISSN 1677-5449versão On-line ISSN 1677-7301

Resumo

KOVALESKI, Elenara Simoni et al. Perfil farmacoterapêutico de pacientes obesos no pós-operatório de cirurgia bariátrica. J. vasc. bras. [online]. 2016, vol.15, n.3, pp.182-188.  Epub 26-Set-2016. ISSN 1677-5449.  http://dx.doi.org/10.1590/1677-5449.002016.

Contexto

A obesidade pode estar relacionada a doenças como diabetes, hipertensão arterial e dislipidemia. A cirurgia bariátrica é um dos tratamentos mais eficazes, levando à diminuição de peso e comorbidades.

Objetivo

Avaliar o perfil metabólico e farmacoterapêutico de pacientes obesos após cirurgia bariátrica.

Métodos

Trata-se de um estudo observacional transversal retrospectivo, realizado em um hospital localizado na cidade de Porto Alegre, RS, Brasil. Foram avaliados 70 prontuários de pacientes que realizaram cirurgia bariátrica, nos períodos de antes de 2 meses e mais de 6 meses após a cirurgia bariátrica. A análise estatística foi realizada no programa SPSS 17.0®.

Resultados

A pressão arterial inicial foi de 130/85 mmHg, passando para 120/80 mmHg (p < 0,01). Com relação ao perfil metabólico antes de dois meses, o HDL foi de 34 mg/dL, o colesterol total foi de 195,07 ± 40,17 mg/dL, o LDL foi de 118,22 ± 41,28 mg/dL, os triglicerídeos foram de 141,09 ± 43,39 mg/dL, e a glicemia de jejum foi de 90 mg/dL. Após 6 meses de cirurgia, os valores passaram para 43 mg/dL, 133,67 ± 28,14 mg/dL, 65,53 ± 24,3 mg/dL, 104,41 ± 29,6 mg/dL, e 77 mg/dL, respectivamente (p < 0,01). Com relação ao uso de medicamentos, 41% utilizaram anti-hipertensivos, 39% utilizaram hipolipemiantes, 10% utilizaram hipoglicemiantes orais e 97% utilizaram suplementos antes dos 2 meses de cirurgia. Após os 6 meses, os percentuais foram alterados para 21%, 19%, 9% e 99%, respectivamente.

Conclusões

O estudo mostra o sucesso da cirurgia bariátrica em pacientes obesos com comorbidades, revelando melhora no perfil metabólico e redução na utilização de medicamentos para tratamento de comorbidades.

Palavras-chave : obesidade; cirurgia bariátrica; atenção farmacêutica; farmacoterapia.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )