SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 número27As peças para televisão de Samuel Beckett: meios de produção, gêneros literários e teoria crítica.Uma pátria obscura: o que resta da anistia índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


ARS (São Paulo)

versão impressa ISSN 1678-5320versão On-line ISSN 2178-0447

Resumo

GIORGI, Artur de Vargas. Pó, polvo, povo: arqueologias da monstruosidade. ARS (São Paulo) [online]. 2016, vol.14, n.27, pp.107-122. ISSN 1678-5320.  http://dx.doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2016.117625.

Este breve ensaio justapõe algumas configurações do que pode ser chamado um povo. Se certas experiências estéticas - visuais e literárias - tendem a homogeneizar o efeito dessa nomeação, cristalizando-o a priori ou como resultado de uma síntese que apaziguaria sua heterogeneidade - seu aspecto monstruoso -, outros fazeres dão potência para sua singularidade irrepresentável. Aqui, a textura dos fragmentos não representa uma totalidade, conquanto eleja uma série de figuras. O sentido de povo se mostra assim sujeito a tensões que, afinal, franqueiam uma ética e posicionam uma crítica à contagem das vozes que é sempre desigual, excludente, mas pretensamente inclusiva e democrática.

Palavras-chave : povo; pó; arqueologia; monstruosidade; contemporâneo.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )