SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 issue2Comparative stereologic study between secretory and maturation ameloblasts in rat incisorsA comparison of microhardness of indirect composite restorative materials author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Journal of Applied Oral Science

Print version ISSN 1678-7757

Abstract

PESSAN, Juliano Pelim; SILVA, Salete Moura Bonifácio da  and  BUZALAF, Marília Afonso Rabelo. Avaliação da ingestão total de flúor de crianças entre 4 e 7 anos de idade através da dieta e dentifrício. J. Appl. Oral Sci. [online]. 2003, vol.11, n.2, pp. 150-156. ISSN 1678-7757.  http://dx.doi.org/10.1590/S1678-77572003000200012.

Este estudo analisou a ingestão total diária de flúor de 21 crianças, residentes numa comunidade fluoretada. A ingestão de flúor (F) através da dieta (D) e dentifrício (B) foi determinada para 2 grupos de crianças: A (4-5 anos de idade) e B (6-7 anos de idade). O método da dieta duplicada (24 horas) foi utilizado. O F ingerido a partir do dentifrício foi indiretamente derivado, subtraindo-se a quantidade expelida e a quantidade que restou na escova da quantidade inicialmente colocada na escova. A análise de F foi feita com o eletrodo íon-específico (Orion 9409), após difusão facilitada por hexametil-disiloxano. A quantidade de F ingerida a partir de D e B foi dividida pelo peso da criança e a ingestão total (T) foi calculada adicionando-se D e B. Os dados foram analisados pelo teste "t" de Student (p<0,05) e por regressão linear. Os resultados (média ± desvio padrão, mg F/Kg peso corporal) de T, D e B foram, respectivamente: 0,056±0,040; 0,018±0,012; 0,037±0,038 para todas as crianças, 0,055±0,026; 0,021±0,014; 0,034±0,027 para o grupo A e 0,057±0,052; 0,016±0,010; 0,041±0,046 para o grupo B. Foi observada uma forte correlação positiva entre a quantidade de dentifrício usada e a quantidade de F ingerida (r = 0,92, p<0,0001). Um terço das crianças analisadas estão expostas a uma dose de F acima de 0,07 mg/ Kg de peso corporal, que é considerada o limite máximo de ingestão diária de F. O dentifrício foi a principal fonte de flúor ingerida pelas crianças, com percentuais de 57,43±29,02 para todas as crianças, 56,49±31,82 para o grupo A e 58,29±27,78 para o grupo B. Não foram encontradas diferenças significantes entre os dois grupos.

Keywords : Flúor; Fluorose dentária; Dentifrício; Dieta.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English