SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 issue3Clinical characteristics and long-term progression of young patients with acute coronary syndrome in BrazilPrevious blood pressure measurement and associated factors in student adolescents author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Einstein (São Paulo)

Print version ISSN 1679-4508On-line version ISSN 2317-6385

Abstract

DANTAS, Endilly Maria da Silva; PINTO, Cristiane Jordânia; FREITAS, Rodrigo Pegado de Abreu  and  MEDEIROS, Anna Cecília Queiroz de. Concordância na avaliação de risco cardiovascular a partir de parâmetros antropométricos. Einstein (São Paulo) [online]. 2015, vol.13, n.3, pp.376-380. ISSN 1679-4508.  https://doi.org/10.1590/S1679-45082015AO3349.

Objetivo

Investigar a concordância na avaliação do risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, a partir de diferentes parâmetros antropométricos, em adultos jovens.

Métodos

Participaram do estudo 406 universitários, sendo aferidas as medidas de peso, estatura, e perímetros da cintura e cervical. Também foram calculados a relação cintura/estatura e o índice de conicidade. O coeficiente Kappa foi utilizado para avaliar a concordância na classificação do risco para doença cardiovascular. Também foram calculados os índices de concordância específica, positiva e negativa. O teste χ2 de Pearson foi utilizado para avaliar associação entre variáveis categóricas (p<0,05).

Resultados

A maioria dos parâmetros avaliados (44%) apresentou concordância fraca (k=0,21-0,40) e/ou pobre (k<0,20), acompanhada de baixo valores de concordância específica negativa. A melhor concordância ocorreu entre cintura e cintura/estatura, tanto para a população em geral (k=0,88) como entre os sexos (k=0,93-0,86). Houve associação significativa (p<0,001) entre o risco para doença cardiovascular e o sexo feminino, quando utilizadas as medidas de cintura e índice de conicidade, e com o sexo masculino, quando utilizado perímetro cervical. Isso se traduziu numa grande variação na prevalência de risco para doença cardiovascular (5,5%-36,5%), a depender do parâmetro e do sexo avaliado.

Conclusão

Houve variabilidade na concordância da avaliação de risco para doença cardiovascular, estabelecido a partir de parâmetros antropométricos, o que parece também ser influenciado pelo sexo. Sugere-se a condução de mais estudos, em população brasileira, para melhor compreensão desta questão.

Keywords : Antropometria; Pesos e medidas corporais; Doenças cardiovasculares; Medição de risco; Sexo.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )